Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juros portugueses sobem e contrariam descida dos outros periféricos

Os juros da dívida pública portuguesa estão a subir em todos os prazos no mercado secundário. Esta evolução contraria o sentimento registado pela dívida de países como Espanha, Itália e Irlanda.

Bruno Simão/Negócios
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 02 de Junho de 2014 às 09:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • 91
  • ...

Os juros da dívida pública portuguesa estão a subir em todos os prazos. As "yields" a dois anos avançam 3,7 pontos base para 1,146% e a cinco anos sobem 2,8 pontos base para 2,581%, de acordo com as taxas genéricas da Bloomberg. A dez anos, as taxas exigidas pelos investidores para trocarem dívida entre si avançam 3 pontos base para 3,652%.

 

O prémio de risco da dívida portuguesa a dez anos face à dívida germânica está, por outro lado, a descer situando-se nos 230,7 pontos base. A dívida da Alemanha é considerada como a mais segura e, por isso, vista como referência.

 

Esta evolução dos juros da dívida pública portuguesa tem lugar depois de, na última sexta-feira, 30 de Maio, o Tribunal Constitucional ter chumbado três normas do Orçamento do Estado em vigor. O Tribunal Constitucional declarou a inconstitucionalidade com força obrigatória geral da norma do Orçamento do Estado (OE) para 2014 que alargou os cortes salariais dos funcionários públicos aplicando-os a partir dos de 675 euros brutos em diante. Os salários da Função Pública voltam, a partir deste mês, aos níveis brutos que tinham em 2010. Em termos líquidos, o valor deverá ser mais baixo, devido ao aumento dos descontos para a ADSE, para a CGA e dos impostos, entretanto aprovados

 

Por outro lado, esta instituição declarou inconstitucionais os cortes aplicados desde o início do ano às pensões de viuvez.

 

Os juros da dívida de países como a Espanha, Itália e Irlanda estão a descer isto numa semana em que o Banco Central Europeu vai realizar a sua habitual reunião mensal. A expectativa do mercado é que a autoridade monetária proceda a alterações na política monetária. Os analistas antecipam uma descida da taxa de juro de referência e, eventualmente, também medidas de estímulo "localizado" ao crédito.

 

Os juros da dívida pública de Espanha estão a recuar ligeiramente em todos os prazos. A dois anos, descem 0,6 pontos base para 0,713%, a cinco anos deslizam 0,8 pontos base para 1,538% e a dez anos, desvalorizam 0,4 pontos base para 2,850%, de acordo com as taxas genéricas da Bloomberg.

 

No caso da dívida italiana a descida é igualmente ligeira em todos os prazos. A dois anos, as "yields" cedem 1,2 pontos base para 0,747%, a cinco anos deslizam 0,8 pontos base para 1,674% e a dez anos a descida é de 0,4 pontos base para 2,959%.

 

Também no caso da Irlanda, que saiu do programa de ajustamento económico no final de 2013, a descida dos juros é pouco expressiva. Assim, a dois anos, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si descem 0,8 pontos base para 0,454%, a cinco anos recuam 1,9 pontos base e a dez anos cedem 0,6 pontos base para 2,605%.

Ver comentários
Saber mais juros da dívida mercado secundário de dívida yield's taxas genéricas da Bloomberg Portugal Espanha Itália chumbo Tribunal Constitucional
Outras Notícias