Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Pandemia já pesa sobre a avaliação que a banca faz às casas

A avaliação bancária da habitação atingiu um valor mediano de 1.110 euros por metro quadrado em março, menos um euro do que no mês anterior.

A lei foi aprovada na quinta-feira e aplica-se a partir de 1 de abril.
Avaliação bancária caiu 0,2% em março. Xxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Rafaela Burd Relvas rafaelarelvas@negocios.pt 27 de Abril de 2020 às 11:11
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...
O valor mediano a que os bancos avaliam as casas no âmbito do crédito à habitação caiu para 1.110 euros por metro quadrado em março de 2020. Esta é a primeira vez que a avaliação bancária regista uma quebra num período de quatro anos, um movimento explicado pelo impacto da pandemia do coronavírus. Os dados não são comparáveis com a série anterior, uma vez que a metodologia de apresentação das estatísticas mudou.

Os dados foram publicados esta segunda-feira, 27 de abril, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que, este mês, alterou o método de recolha de dados. Até agora, o INE apresentava o valor médio de avaliação bancária. A partir de março de 2020, passa a apresentar o valor mediano. Ao mesmo tempo, o INE deixou de considerar a área útil, para passar a ter em conta a área bruta como referência para o cálculo da avaliação bancária - isto implica que o valor por metro quadrado será, agora, forçosamente menor, uma vez que a área de referência passa a ser maior.

O INE apresenta os valores medianos desde janeiro de 2011 e já é possível notar um impacto da pandemia do coronavírus sobre a avaliação das casas. "A informação deste destaque, respeitante a março, já deverá refletir parcialmente efeitos da pandemia Covid-19, quer no comportamento do índice de preços, quer na quantidade de informação primária para compilar o índice", indica o INE, no relatório publicado esta segunda-feira.

De acordo com o INE, em março deste ano, o valor mediano da avaliação bancária fixou-se em 1.110 euros por metro quadrado, menos um euro do que no mês anterior. Este valor representa uma descida de 0,1% relativamente a fevereiro de 2020, mas um aumento de 10,3% face a março do ano passado.

Considerando o valor médio, a avaliação bancária estava a aumentar consecutivamente desde abril de 2017, atingindo níveis recorde nos últimos meses e fixando-se em 1.337 euros em fevereiro de 2020. Contudo, o valor mediano já estava a subir sem interrupções há mais tempo: desde março de 2016. Esta é, assim, a primeira vez que o valor mediano a que os bancos avaliam as casas cai no espaço de quatro anos.

Este movimento de queda verificou-se apenas nas moradias, onde o valor mediano da avaliação bancária caiu de 928 euros por metro quadrado em fevereiro para 923 euros em março. Já nos apartamentos, o valor mediano subiu em um euro e fixou-se em 1.209 euros por metro quadrado.

A Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve foram as regiões que apresentaram as avaliações bancárias mais elevadas, ambas com valores medianos de 1.483 euros por metro quadrado em março. Já o Alentejo registou a avaliação mais baixa, de 804 euros por metro quadrado.

Considerando apenas os apartamentos, a Área Metropolitana volta a ser a região mais cara, com um valor mediano de 1.493 euros por metro quadrado, enquanto o Centro é a mais barata, com um valor mediano de 846 euros. Já nas moradias, o Algarve é a região mais cara, com uma mediana de 1.564 euros por metro quadrado, e o Alentejo a mais barata, com uma avaliação mediana de 767 euros.

Notícia atualizada pela última vez às 11h35 com mais informação.
Ver comentários
Saber mais avaliação bancária habitação crédito ine banca
Mais lidas
Outras Notícias