Crédito Taxa de juro máxima do crédito automóvel recua para nível mais baixo de sempre

Taxa de juro máxima do crédito automóvel recua para nível mais baixo de sempre

As instituições financeiras não podem cobrar uma taxa de juro superior a 4,7% no crédito concedido para compra de automóveis novos, nas modalidades de locação financeira ou ALD.
Taxa de juro máxima do crédito automóvel recua para nível mais baixo de sempre
Fernando Veludo/Lusa
Negócios 05 de junho de 2019 às 15:47

Os bancos e outras instituições financeiras têm vindo a conceder maiores volumes de crédito automóvel nos últimos trimestres e a taxas de juro mais reduzidas, o que está a pressionar em baixa os valores máximos que podem cobrar.

 

O Banco de Portugal anunciou esta quarta-feira, 5 de junho, as taxas máximas que as instituições podem cobrar aos clientes no crédito ao consumo. Estas são formadas através das médias praticadas no mercado pelas instituições de crédito no trimestre anterior, acrescidas de um quarto.

 

Na Locação Financeira ou ALD para automóveis novos a taxa máxima que as instituições financeiras podem cobrar no terceiro trimestre é de 4,7%. Desde 2013, quando o Banco de Portugal impôs limites máximos aos juros no crédito ao consumo, nunca se verificou uma taxa máxima tão reduzida. No segundo trimestre e nos últimos três meses de 2018 a taxa máxima era de 4,8%.

 

Para a compra de carros usados, através de locação financeira ou ALD, a taxa máxima do terceiro trimestre é de 6%, o que representa um aumento de uma décima face ao trimestre anterior.

 

No que diz respeito às taxas máximas que os bancos podem cobrar nos cartões de crédito, ficam estáveis em 16,1%. Um nível já distante dos 15,3% no quarto trimestre de 2018.

 

No crédito pessoal para educação, saúde e outros fins, a taxa máxima baixa duas décimas para 6,2%.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI