Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vítor Gaspar: "Podemos estar a aproximar-nos de um ponto de viragem"

Ministro das Finanças agradado com os resultados do leilão de dívida pública que Portugal fez ontem. Diz que pode representar que o País se está a aproximar "de um ponto de viragem", apesar dos juros no mercado secundário estarem hoje em máximos históricos.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 19 de Janeiro de 2012 às 16:11
  • Assine já 1€/1 mês
  • 15
  • ...
Vítor Gaspar considera que os resultados do leilão de dívida pública ontem realizado por Portugal representam um “sinal de que podemos estar a aproximar-nos de um ponto de viragem”.

A frase foi dita por Vítor Gaspar na abertura do workshop sobre Reformas Estruturais no contexto do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro e no dia em que, no mercado secundário, os juros da dívida pública portuguesa continuam a atingir recordes desde a entrada do país no euro.

O programa de ajuda financeira prevê o regresso de Portugal ao mercado, com a emissão de dívida de longo prazo, no final de 2013.

De acordo com o discurso, efectuado à Porta fechada e enviado pelo Ministério das Finanças às redacções, Vítor Gaspar citou a “procura foi elevada em todas as maturidades” das obrigações emitidas, bem como “a significativa participação de investidores não-residentes”.

O Tesouro português vendeu ontem 2,5 mil milhões de euros em bilhetes do Tesouro, a totalidade do montante pretendido. Os juros ficaram abaixo de 5% em todos os prazos, mesmo na linha a 11 meses.

Contudo, no mercado secundário, as taxas de juro implícitas das obrigações a dez anos já renovaram, aliás, um novo máximo desde a fundação do euro, ao avançarem 5 pontos base e tocar nos 14,6%. A cinco anos, a “yield” também já tocou numa taxa que nunca se tinha verificado desde que o euro circula. A rendibilidade nesta maturidade sobe 44,3 pontos base e está nos 18,4%.

Vítor Gaspar destacou que, em Maio do ano passado, o Programa de Assistência a Portugal “enfrentava um futuro muito incerto”, mas nesta altura “a incerteza sobre o sucesso do processo de ajustamento português foi já substancialmente reduzida”.

“Portugal obteve resultados muito positivos” na execução do programa, pelo que “continuar este caminho permitirá reforçar a nossa credibilidade e confiança”.
Ver comentários
Saber mais Vítor Gaspar défice dívida
Mais lidas
Outras Notícias