Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Abertura de mercados: Bolsas europeias e euro com ganhos ligeiros

Os principais índices bolsistas do Velho Continente estão pouco alterados neste arranque de sessão, ainda que com subidas ligeiras. Uma tendência que, de resto, verifica-se também no comportamento da moeda europeia.

Bloomberg
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 21 de Julho de 2015 às 08:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os mercados em números

PSI-20 soma 0,01% para 5.866,88 pontos

Stoxx 600 cresce 0,24% para 407,78 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recua 2,5 pontos base para 2,563%

Euro avança 0,03% para 1,0829 dólares

Petróleo em Londres aprecia 0,11% para 56,71 dólares

  

Bolsas europeias registam ganhos ligeiros

Os principais índices bolsistas europeus arrancaram a sessão pouco alterados, elevando para 10 o número de sessões consecutivas de ganhos. O atenuar dos receios em relação à Grécia tem justificado os ganhos recentes. Ainda esta segunda-feira, Atenas reembolsou o Banco Central Europeu nos montantes previstos, de acordo com o porta-voz da autoridade monetária. O Fundo Monetário Internacional (FMI) confirmou também que a instituição recebeu das autoridades gregas o pagamento das dívidas em atraso e que ascendiam a cerca de dois mil milhões de euros. A banca helénica abriu portas esta segunda-feira, mas a bolsa de valores continua encerrada.

Nas bolsas europeias, o principal índice italiano lidera as valorizações, ao somar 0,27%, seguido do germânico DAX, que avança 0,26%. O espanhol IBEX 35 ganha 0,06%, o PSI-20 aprecia 0,01%. O francês CAC 40 cede 0,01%.
 

Juros da dívida portuguesa aliviam

Os juros da dívida pública portuguesa estão a registar um alívio ligeiro, mantendo assim o sentimento registado no fecho da sessão de ontem. A dez anos, a maturidade considerada de referência, as "yields" recuam 2,5 pontos base para 2,563%. Este comportamento verifica-se igualmente nas taxas de juro dos restantes países periféricos. Na dívida italiana, a linha a dez anos perde 2,1 pontos base para 1,885%. E em relação à dívida espanhola, as "yields" a dez anos deslizam 2,4 pontos base para 1,915%.

  

Euro pouco alterado

A moeda europeia está pouco alterada em relação ao dólar. O euro soma 0,03% para 1,0829 dólares. A Grécia, que ontem reembolsou o montante que tinha em atraso ao Fundo Monetário Internacional, e a expectativa de uma subida dos juros pela Fed ainda este ano continuam a marcar a negociação da moeda única da Zona Euro.

 

Crude próximo dos 50 dólares em Nova Iorque

O petróleo está a negociar sem uma tendência definida nos mercados internacionais. O West Texas Intermediate, negociado em Nova Iorque, desce 0,32% para 49,99 dólares por barril, acompanhado assim a tendência recente de venda que se verifica nas matérias-primas. O Brent do Mar do Norte, transaccionado em Londres e que serve de referência para as importações europeias, soma 0,11% para 56,71 dólares por barril. O "ouro negro" tem estado a ser penalizado pelo acordo nuclear assinado pelas potências internacionais com o Irão, que inclui o levantamento das sanções que bloqueavam as exportações da matéria-prima. Esta segunda-feira, o ministro Zanganeh declarou que o país pretende aumentar a produção em mais de quatro milhões de barris diários.

 

Ouro em queda pressionado pela Fed e reservas

A cotação do ouro está a subir, recuperando um pouco das perdas recentes – esta segunda-feira o metal precioso chegou a negociar nos 1.086,18 dólares por onça, o valor mais baixo desde Março de 2010. Por esta altura, o ouro soma 0,69% para 1.104,04 dólares por onça. A expectativa de uma subida dos juros pela Reserva Federal em Setembro e a divulgação de um nível de reservas do metal precioso inferior ao esperado na China penalizou a negociação do metal precioso.

 

Destaques do dia

Gestora britânica contra OPA de Queiroz PereiraPara que a oferta de troca de acções da Semapa por títulos da Portucel seja bem-sucedida, a "holding" deverá rever em alta a contrapartida, acredita a Petrus. Caso não o faça, a gestora vai manter-se accionista da empresa de Pedro Queiroz Pereira.

"Há bastante valor no mercado português", diz a PetrusA Semapa não é a única cotada portuguesa na carteira da Petrus Advisers que identifica oportunidades no mercado nacional.

BCE alerta para "avaliações excessivas" nos mercados europeusO ambiente de juros baixos fez aumentar a aposta em activos de maior risco. O problema, agora, é que as avaliações estão esticadas, diz o "braço" do BCE para a análise de risco. Uma forte correcção é um dos riscos à estabilidade.

Aumento da concorrência põe nuvens sobre o BCP e o BPIO Santander vê nuvens no horizonte para os bancos portugueses. A maior concorrência no mercado nacional, mas também o menor contributo das actividades internacionais deverão levar as acções a retomarem a tendência de queda na bolsa nacional.

Fundo da Segurança Social teve o segundo melhor desempenho de sempreO montante sob gestão aumentou mais de 15%, mas a rendibilidade, apesar de elevada, foi um pouco inferior. A explicação está no facto de terem sido transferidos saldos para o fundo, algo que não acontecia desde 2011.

 

O que vai acontecer hoje

 

Banco do Japão. Divulgação das minutas da reunião de política monetária, realizada a 18 e 19 de Junho.

Banco de Portugal. Boletim Estatístico, relativo a Junho.

Microsoft. Divulga os resultados relativos ao segundo trimestre

Bank of New York MellonDivulga os resultados relativos ao segundo trimestre

 

Ver comentários
Saber mais abertura dos mercados petróleo Brent Crude West Texas Intermediate euro Grécia
Outras Notícias