Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

A sessão deverá ser marcada por menos investidores no mercado, devido ao feriado nos EUA. Não se antecipam grandes novidades, mas os investidores deverão estar atentos aos activos que se destacaram na semana passada, como o caso dos CTT, que afundaram, o euro e o prémio de risco da dívida nacional que tocaram em mínimos.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Sara Antunes 15 de janeiro de 2018 às 07:30
CTT regressam após afundaram 9% em bolsa

A última sessão da semana passada foi marcada por uma queda abrupta das acções dos CTT, que deslizaram mais de 9%, depois de o regulador das comunicações, a Anacom, ter determinado novos objectivos que apertam os critérios para os correios. As acções registaram a maior queda desde 1 de Novembro, dia posterior à empresa ter cortado as estimativas de resultados e baixado o dividendo.



Euro em máximos de três anos

O euro beneficiou, na última sessão, do acordo alcançado na Alemanha entre a CDU, de Angela Merkel, e o SPD, de Martin Schulz. A moeda única atingiu um novo máximo de Dezembro de 2014, superando os 1,21 dólares. A sustentar a moeda tem estado também a perspectiva em torno do Banco Central Europeu, já que os relatos da última reunião apontam para que a autoridade liderada por Mario Draghi possa acelerar o ritmo de retirada de estímulos. A expectativa é grande. 



Prémio de risco vai voltar a diminuir?

Os juros de Portugal não têm registado oscilações significativas, mas o prémio de risco, face à dívida alemã tem sido reduzido. Isto porque os juros da Alemanha têm registado subidas, essencialmente devido à expectativa de melhoria da economia. O acordo político no país e a especulação em torno do BCE têm levado os investidores a saírem dos activos considerados mais seguros, como o caso da dívida alemã, para activos com retornos potenciais mais elevados. E esta tem sido a justificação para a dívida nacional. 


Sessão menos atractiva

O dia será marcado pelas comemorações do dia de Martin Luther King, com as bolsas dos EUA fechadas. Assim, numa semana que até será marcada por dados económicos e apresentação de resultados de várias cotadas americanas – que prometem fazer correr tinta – o dia será mais parado e deverá condicionar também a negociação na Europa pela ausência de investidores do outro lado do Atlântico. 

 


Semana de resultados

Apesar de o arranque da semana parecer ser calmo, o resto dos dias deverão agitar as águas, especialmente porque a época de apresentação de resultados nos EUA já começou. Esta semana será a vez do Citigroup, Bank of America, Goldman Sachs, Morgan Stanley e American Express reportarem os seus números de 2017. Bem como a Alcoa, que costuma ser a primeira cotada a revelar os dados, mas neste trimestre foi "ultrapassada" pelo sector financeiro. Na bolsa nacional, os únicos números que serão conhecidos são as vendas preliminares da Sonae SGPS referentes a 2017. Dados que serão divulgados na próxima quinta-feira, 18 de Janeiro. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub