Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Adivinha-se uma sessão de forte pressão nas bolsas europeias, que devem seguir as quedas acentuadas das bolsas norte-americanas na quinta-feira. Em Portugal destaque para os dados das exportações de 2017.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Nuno Carregueiro 09 de fevereiro de 2018 às 07:30
Mais pressão nas bolsas europeias

O final da sessão de ontem em Wall Street voltou a ser marcado por quedas acentuadas e repentinas, abrindo caminho para uma abertura de vermelho carregado nas bolsas europeias esta sexta-feira. O Dow Jones caiu 4,15%, numa desvalorização que, tal como na segunda-feira, voltou a superar os mil pontos. O S&P500 caiu 3,75% para mínimos de Novembro e face ao máximo histórico fixado em Janeiro já recuou 10%, entrando assim em território de correcção.


 

INE publica dados das exportações

O Instituto Nacional de Estatística publicará os dados de Dezembro, pelo que ficaremos hoje a conhecer qual foi a evolução das exportações de mercadorias em Portugal no conjunto do ano de 2017. As vendas de bens ao exterior têm aumentado com taxas de dois dígitos, sendo que em Novembro subiram 11,9%, registando um aumento mais forte do que o registado pelas importações (10,4%).

 

Produção industrial na Europa

O dia será muito escasso na divulgação de indicadores económicos a nível global. Nota apenas para a produção industrial no Reino Unido e em Itália e as vendas a retalho no Brasil. Na política monetária haverá decisão do banco central da Rússia.

 

Fitch revê avaliação da Alemanha

A Fitch tem agendada para esta sexta-feira uma possível acção de "rating" sobre a dívida alemã, que merece a nota máxima de AAA por parte das três grandes agências. A agência de notação financeira poderá pronunciar-se após a escalada dos juros das obrigações alemãs nos últimos dias, devido aos receios em torno da retirada de estímulos por parte do Banco Central Europeu.

 

Petróleo em mínimos do ano

Tal como as acções, também o petróleo está em queda acentuada, tendo ontem marcado a quinta sessão consecutiva em terreno negativo, que atirou o Brent para mínimos do ano abaixo dos 65 dólares. O aumento da produção da matéria-prima nos Estados Unidos, para níveis recorde, justificam a descida das cotações. A Baker Hughes – fornecedora norte-americana de serviços a campos petrolíferos – divulga hoje o relatório semanal sobre o número de plataformas de petróleo e gás nos Estados Unidos, que poderá dar mais pistas sobre a oferta da matéria-prima neste país. 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub