Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Setembro vai arrancar com uma baixa de peso: é feriado nos EUA e as bolsas não abrem. Ainda assim, a guerra comercial deverá continuar a pairar. Itália deverá ser um foco de atenção, depois de a agência Fitch ter emitido uma nota e, por cá, a Teixeira Duarte deverá reagir aos lucros e a um novo contrato no Equador.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Sara Antunes 03 de setembro de 2018 às 07:30
Itália sob pressão

Os investidores já começavam a torcer o nariz ao discurso do Governo italiano, considerando que Roma já tem uma economia endividada e que dificilmente conseguirá cumprir as regras europeias se cumprir com as promessas aos eleitores. Mas na sexta-feira, 31 de Agosto, houve quem se pronunciasse sobre esta questão. E foi a Fitch, ameaçando cortar o "rating" do país, ao colocar a dívida italiana sob perspectiva negativa. O ministro das Finanças ainda veio a terreiro acalmar os ânimos, garantindo que Itália vai cumprir com o que acordou com Bruxelas. Mas este domingo, o primeiro-ministro deixou claro que para ele o importante são os italianos e que estes estarão sempre primeiro do que as agências de "rating".

 

Certo é que, apesar de a Fitch ter mantido o rating do país em BBB – dois níveis antes do patamar considerado "lixo" – Itália tem agora mais uma fonte de pressão.


 

Teixeira Duarte regressa aos lucros e ganha contrato de 59 milhões no Equador

A Teixeira Duarte revelou os números do primeiro semestre, tendo reportado um lucro de 17,4 milhões de euros. Este lucro compara com um prejuízo superior a nove milhões de euros registado em igual período do ano passado. A contribuir para a melhoria dos resultados esteve a venda da Lagoas Park, com ganhos de quase 25 milhões de euros.


A influenciar a negociação das acções estará ainda o anúncio, feito no sábado, de que ganhou um contrato de 59 milhões para construção de uma ponte no Equador.


 

Labor Day fecha mercados americanos

A primeira segunda-feira de Setembro é sempre marcada pelo feriado do Labor Day. Nesse dia não há bolsas do outro lado do Atlântico. E, consequentemente, o volume de negócios realizado nesse dia cai. Prevê-se, por isso, um arranque de Setembro com pouco movimento nas bolsas.


 

Reditus com menos lucros. Vista Alegre com Bordallo Pinheiro

Na sexta-feira, já depois do fecho do mercado, a Reditus anunciou que fechou o primeiro semestre com um lucro de 60 mil euros, um valor que ficou aquém dos 64 mil euros registados em 2017.

 

A Vista Alegre também fez um comunicado ao mercado, desta vez para revelar que passará a incorporar a Bordallo Pinheiro, depois de ter comprado a empresa que a detém à Visabeira, que por sua vez é dona de mais de 90% da Vista Alegre. A operação implicou o pagamento de 48,5 milhões de euros à Visabeira. Por outro lado, vendeu uma unidade de participações imobiliárias, por mais de 20 milhões de euros, também à Visabeira.


 

Investidores à espera de dados da indústria e novidades da guerra comercial

Esta segunda-feira haverá poucos dados económicos, salientando-se apenas o PMI para a indústria da Zona Euro, com os analistas a preverem uma melhoria ligeira do indicador. No mercado nacional, destaque para a divulgação da evolução da dívida pública portuguesa, por parte do Banco de Portugal.

 

Uma questão que continuará a captar a atenção dos investidores é a disputa comercial, à espera que se conheçam desenvolvimentos sobre as negociações entre EUA e Canadá, mas também sobre a troca de recados entre Washington e Bruxelas. E ainda, se os EUA vão mesmo avançar com mais tarifas sobre bens importados da China.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI