Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Os deputados britânicos voltam a debater as alternativas ao acordo alcançado por Theresa May e Bruxelas para o Brexit, num dia em que serão divulgados indicadores económicos relevantes na União Europeia.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Sara Antunes 01 de abril de 2019 às 07:30
Investidores regressam após fecharem o melhor trimestre dos últimos anos

O primeiro trimestre esteve envolto de incertezas políticas e económicas. As bolsas vacilaram, mas o balanço foi francamente positivo. As bolsas europeias fecharam com o melhor trimestre desde 2015. E nos EUA, o S&P500 viveu o melhor arranque do ano desde 2009. As nuvens continuam a pairar sobre os mercados. Os investidores continuam atentos à evolução de vários pontos de incerteza: a economia está a viver uma travagem mais pronunciada ou não? O Brexit concretiza-se? E se sim, como? Com acordo ou de forma desordeira? E as negociações comerciais entre os EUA e a China?

As dúvidas mantêm-se e os investidores aguardam pelas respostas. Mas há um ponto a favor: historicamente, abril é o melhor mês do ano para o S&P500.

 

Brexit regressa ao Parlamento britânico

O Reino Unido continua a tentar encontrar uma solução para a saída da União Europeia. Depois de ter chumbado pela terceira vez o acordo de saída negociado por Theresa May com Bruxelas, na sexta-feira, esta segunda-feira os deputados voltam ao Parlamento para discutir possíveis alternativas. O tempo está a esgotar-se. A data de saída era a 29 de março, tendo Londres conseguido adiar até 12 de abril. Contudo, o cenário de se conseguir um acordo para uma saída ordeira parece distante. Theresa May está sob grande pressão, com a Reuters a noticiar que a primeira-ministra pode levar, pela quarta vez, o acordo a votos ainda esta semana.

 

Inflação e desempenho na Zona Euro

O Eurostat vai publicar os dados sobre a inflação, de março, e do desemprego, de fevereiro. No caso da inflação, as estimativas dos analistas apontam para uma estabilização em 1,5%. Os dados da evolução de preços no consumidor serão assim conhecidos três dias antes de o Banco Central Europeu (BCE) publicar os relatos da última reunião, quando os responsáveis pela política monetária reviram em baixa as estimativas de crescimento e um novo programa de financiamento à banca.

Quanto ao desemprego, os economistas preveem que a taxa tenha estabilizado em 7,8%.

 

Atividade da indústria atrai atenções

Esta segunda-feira será publicado um outro indicador relevante. É o PMI para a indústria. Este indicador mede a atividade do setor industrial, cuja evolução será incorporada como um sinal sobre a evolução da economia. Os últimos dados apontam para uma travagem mais pronunciada da economia mundial, e a Europa não é exceção. Os investidores deverão estar assim atentos ao desempenho da indústria em março para tentarem perceber se o último mês do primeiro trimestre dá sinais de um acelerar da economia.

 

Negociações comerciais voltam aos EUA

A China anunciou que vai manter suspensas as novas tarifas sobre as importações de automóveis e de peças automóveis dos EUA, que deveriam entrar em vigor a 1 de abril. Pequim diz ser um gesto de boa vontade depois de Washington também ter adiado a entrada em vigor das novas tarifas sobre as importações chinesas. E isto numa altura em que decorrem as negociações entre os dois países com vista a porem fim à guerra comercial.

 

Esta semana será marcada por uma nova viagem do vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, aos EUA, com as negociações como pano de fundo. Esta viagem surge depois de na semana passada os representantes dos EUA, liderados pelo secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, terem estado em Pequim.

 




Marketing Automation certified by E-GOI