Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Depois de em maio melhorar o “outlook” de Portugal, esta sexta-feira a Fitch poderá elevar o rating da dívida soberana.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Fitch pode melhorar notação de Portugal

A agência de notação financeira Fitch poderá elevar esta sexta-feira o rating da dívida de longo prazo de Portugal. Se melhorar em um nível, passará para o terceiro nível acima de "lixo", em BBB+.

 

A Fitch poderá ainda pronunciar-se sobre o perfil de risco das obrigações soberanas da Irlanda. Também a Moody’s poderá ter uma palavra a dizer sobre a classificação da dívida da Ucrânia e a S&P poderá fazer o mesmo em relação à África do Sul.

 

Os relatórios sobre os ratings e perspectivas para as dívidas soberanas podem não ser publicados, uma vez que o calendário de eventuais revisões das notações soberanas é apenas indicativo.

 

Leque de indicadores macroeconómicos em foco

Na Zona Euro teremos a publicação dos índices dos gestores de compras (PMI) da IHS Markit, relativos a novembro. Serão divulgados os PMI compósitos, bem como os dados desagregados para a indústria e para os serviços. Teremos também os mesmos indicadores para a Alemanha, França e Reino Unido.

 

Destaque ainda, na Europa, para os dados relativos ao PIB da Alemanha no terceiro trimestre (números finais). Segundo os dados preliminares já divulgados pelo instituto de estatística alemão, o "motor" da economia europeia cresceu 0,1% em cadeia, escapando à recessão técnica. 

 

Nos Estados Unidos teremos os números da atividade industrial medida pela Fed de Kansas City e o sentimento dos consumidores medido pela Universidade do Michigan.

 

 

Aposta na queda das ações dos CTT em mínimos desde 2017

As posições a descoberto no capital dos CTT - Correios de Portugal caíram para os 2,08%, um mínimo desde abril de 2017, mês em que os "hedge funds" que apostavam na queda das ações da empresa detinham 2,16% do capital da empresa, de acordo com os números reportados ontem no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo o regulador do mercado, atualmente existem duas entidades com posições curtas na empresa liderada por João Bento: a Connor, Clark & Lunn Investment Management, com 1,49%, e a BlackRock Investment Management Limited com 0,59%.

 

Unilever, Henkel e Colgate-Palmolive de olho na Coty

A Unilever, a Henkel e uma série de fundos de capital de risco, incluindo o Advent e o Cinven, estão em conversações com a empresa norte-americana de cosmética Coty quanto à possível apresentação de ofertas de compra sobre algumas das suas mais populares marcas de beleza, avançou a Reuters citando fontes conhecedoras do processo.

 

A Coty, detida maioritariamente pelo conglomerado alemão JAB Holdings, deverá dar início a um processo de licitações em dezembro para um portefólio de marcas de cuidados profissionais para o cabelo e de cuidados das unhas. A empresa de cosmética, que tem uma capitalização bolsista de 9 mil milhões de dólares, vai arrancar com estes leilões para encontrar um novo proprietário de um vasto portefólio de marcas, referiram as mesmas fontes à Reuters.

 

Plataformas de petróleo e gás em destaque nos EUA

A Baker Hughes, fornecedora norte-americana de serviços a campos petrolíferos, divulga hoje o relatório semanal sobre o número de plataformas de petróleo e gás nos Estados Unidos. 

 

Ontem as cotações do "ouro negro" estiveram a negociar em alta, a refletirem a evolução das reservas desta matéria-prima dos EUA. Os inventários norte-americanos de crude aumentaram em 1,38 milhões de barris na semana passada, quando as estimativas apontavam para acréscimos na ordem dos 1,5 milhões, segundo a Bloomberg.

 




Marketing Automation certified by E-GOI