Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta sexta-feira os mercados vão estar a reagir ao acordo comercial de "fase um" entre os EUA e a China e à vitória dos Conservadores nas eleições gerais no Reino Unido.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Negócios 13 de dezembro de 2019 às 07:30

Já há acordo EUA-China. É parcial, mas trava novas tarifas


Os negociadores norte-americanos e chineses definiram ontem ao final do dia os termos de um acordo comercial parcial (chamado de "fase um"), que já só estava à espera da aprovação do presidente Donald Trump. E não demorou muito: pelas 21:35 de Lisboa foi confirmada a assinatura do chefe da Casa Branca.

 

Este acordo vai permitir travar a entrada em vigor de uma nova fornada de tarifas aduaneiras a partir de 15 de dezembro. 


A vitória dos Conservadores no Reino Unido

Os investidores vão estar a fazer refletir nos mercados os resultados das eleições gerais no Reino Unido, com a maioria absoluta dos Conservadores de Boris Johnson, que ontem à noite estavam já a fazer a libra disparar face ao euro e ao dólar.

 

A justificar o comportamento da libra está o facto de os investidores percecionarem, numa maioria absoluta do Partido Conservador, a estabilização da política britânica e, acima de tudo, um caminho concreto para o Brexit, no caso a concretização da saída da UE até 31 de janeiro como prometido por Boris Johnson. 

 

 

Orçamento europeu discutido em Bruxelas

Os líderes da União Europeia terminam hoje em Bruxelas o último Conselho Europeu do ano, que tem na agenda as alterações climáticas e o orçamento europeu.

 

A reunião de dois dias termina esta sexta-feira, dia em que se realiza também a Cimeira do Euro sobre a União Económica e Monetária.

 

"Rating" de Espanha pode ser avaliado

A Fitch poderá hoje pronunciar-se sobre o "rating" de Espanha e França, enquanto a DBRS poderá ter uma palavra a dizer sobre a classificação da dívida do Reino Unido no dia seguinte às eleições.

 

Os relatórios sobre os "ratings" e perspectivas para as dívidas soberanas podem não ser publicados, uma vez que o calendário de eventuais revisões das notações soberanas é apenas indicativo.

 

Nos EUA há dados das vendas a retalho e das plataformas de petróleo 

Hoje é dia de novos indicadores económicos e o destaque nos EUA vai para os números das vendas a retalho em novembro. 

Ainda nos Estados Unidos, a Baker Hughes, fornecedora norte-americana de serviços a campos petrolíferos, divulga hoje o relatório semanal sobre o número de plataformas de petróleo e gás nos Estados Unidos. Ontem as cotações do "ouro negro" estiveram a negociar em alta, animadas pela expectativa de um acordo para breve entre as duas maiores economias do mundo.

 

Na Europa teremos os dados das encomendas à indústria em Itália no mês de outubro e os números de novembro da inflação em Espanha.

 




Marketing Automation certified by E-GOI