Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

A semana em oito gráficos: Bolsas disparam no arranque de 2021 e PSI-20 já sobe 33% em 10 semanas

2021 começou com o pé direito para as ações e para o petróleo, com os investidores a reforçarem a esperança de que este ano será marcado por uma célere recuperação económica. A bolsa portuguesa destacou-se com um ganho acima de 7% na semana e a EDP Renováveis continua a brilhar.

Bolsas europeias com melhor arranque de ano desde 2009

Bolsas europeias com melhor arranque de ano desde 2009

O forte avanço da pandemia um pouco por todo o mundo não travou o otimismo dos investidores no arranque de 2021. O avanço do plano de vacinação e a conquista do Senado pelos democratas acelerou a expectativa de que a recuperação da economia vai ganhar força e que vão ser introduzidos estímulos orçamentais mais robustos nos Estados Unidos. O Stoxx600 avançou mais de 3% em cinco sessões, o que representa o melhor arranque de ano desde 2009.

A praça portuguesa conseguiu um dos melhores desempenhos na Europa, com um avanço acima de 7%, com a bolsa de Londres a destacar-se com uma subida de mais de 6% ainda a beneficiar com o acordo para o pós-Brexit. Em Wall Street os índices estão em máximos históricos, mas os ganhos foram mais modestos, uma vez que a "onda azul" no Congresso dos EUA pode trazer dissabores regulatórios para o setor tecnológico.

PSI-20 sobe pela 10.ª semana

PSI-20 sobe pela 10.ª semana

Depois de um 2020 em que sofreu uma queda mais forte do que as pares europeias, a bolsa portuguesa arrancou 2021 com valorizações mais robustas. O PSI-20 subiu mais de 7% na primeira semana do ano (só caiu na última sessão) e está agora em máximos de fevereiro. Esta foi já a décima semana seguida de ganhos, sendo que desde o final de outubro o índice português acumula uma valorização expressiva de 33%.

BCP e Grupo EDP brilham

BCP e Grupo EDP brilham

A EDP Renováveis foi a estrela do PSI-20 em 2020 (+117%) e mantém este estatuto no arranque de 2021. A cotada disparou mais de 10% e pulverizou máximos históricos e é agora a mais valiosa do índice. Um lugar que roubou à EDP, apesar da casa mãe ter subido bem na semana. Ainda assim o BCP foi o que mais subiu na semana, que foi muito positiva para o setor já que a banca é das principais beneficiadas com a recuperação da economia.

Tui lidera ganhos no Stoxx600

Tui lidera ganhos no Stoxx600

O setor do turismo é dos que mais tem a ganhar com uma recuperação rápida da economia, pelo que não admira que o operador turístico Tui tenha liderado os ganhos no Stoxx600. Ainda assim a cotada beneficiou sobretudo com a notícia de que conseguiu completar um aumento de capital.  

Tesla segue imparável

Tesla segue imparável

Depois de terem disparado mais de 700% em 2020, as ações da Tesla registaram um forte arranque de ano, já que a fabricante cumpriu as metas de vendas que tinha prometido ao mercado. O valor de mercado da empresa de Elon Musk aumentou um quarto, superou os 800 mil milhões de dólares e passou à frente do Facebook. O empresário passou o CEO da Amazon e é agora o homem mais rico do mundo.

Euro continua em alta

Euro continua em alta

Outra tendência que a mudança de ano não alterou foi a valorização do euro face à moeda norte-americana, que continua a ser penalizada pela aposta dos investidores em ativos de maior risco. Ainda assim a valorização da moeda europeia foi modesta, numa semana em que a libra perdeu parte do avanço registado no final de 2020.  

Petróleo em máximos de fevereiro

Petróleo em máximos de fevereiro

O petróleo arrancou 2021 com tendência de ganhos, com uma subida de mais de 6% a levar a matéria-prima para máximos de 11 meses. A contribuir para animar o mercado continua a estar o facto de a Arábia Saudita ir cortar a sua produção em mais um milhão de barris por dia (a complementar a redução que já tem definida no âmbito do acordo da OPEP+) em fevereiro e março.

"Onda azul" impulsiona juros

'Onda azul' impulsiona juros

A taxa de juro das obrigações a 10 anos dos Estados Unidos derem um forte salto devido à vitória dos democratas no Senado, uma vez que foram reforçadas as expetativas de recuperação da economia e subida da inflação. Na dívida portuguesa a tendência foi a oposta e a taxa dos títulos a 10 anos regressou a terreno negativo.  

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 09 de Janeiro de 2021 às 09:30
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Foi um arranque de ano de fortes subidas para os mercados acionistas, numa altura em que o foco dos investidores está na previsão de uma forte recuperação económica e não no agravamento da pandemia um pouco por todo o mundo.

Os planos de vacinação e a vitória dos democratas no Senado contribuíram para o otimismo dos investidores, que foi particularmente notório na praça portuguesa, que ganhou mais de 7% na semana em que BCP e EDP Renováveis alcançaram ganhos de dois dígitos.  

 

 

 

Ver comentários
Saber mais bolsas Europa mercados A semana em oito gráficos
Outras Notícias