Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas recuam de máximos de Fevereiro e juros sobem antes da Moody's

Abertura dos mercados: Bolsas recuam de máximos de Fevereiro e juros sobem antes da Moody's

As bolsas europeias estão a negociar em queda pela primeira vez em quatro sessões, numa altura em que o petróleo e o euro estão em baixa ligeira. Os juros de Portugal sobem, no dia em que a Moody's se poderá pronunciar sobre o rating.
Abertura dos mercados: Bolsas recuam de máximos de Fevereiro e juros sobem antes da Moody's
Reuters
Rita Faria 20 de abril de 2018 às 09:03

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,38% para 5.501,14 pontos

Stoxx 600 perde 0,25% para 380,99 pontos

Nikkei desvalorizou 0,13% para 22.162,24 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 2,9 pontos para 1,685%

Euro recua 0,04% para 1,2340 dólares

Petróleo em Londres recua 0,12% para 73,69 dólares o barril

 

Bolsas europeias aliviam de máximos de Fevereiro

As bolsas europeias estão a negociar em queda esta sexta-feira, 20 de Abril, depois de três sessões consecutivas de ganhos, que levaram o índice de referência do Velho Continente para máximos de 27 de Fevereiro.

 

Nesta altura, o Stoxx600 perde 0,25% para 380,99 pontos, em mais uma sessão em que os investidores vão estar atentos aos resultados das empresas relativos ao primeiro trimestre.

 

Em Lisboa, o PSI-20 desce 0,38% para 5.501,14 pontos, penalizado sobretudo pelo BCP e pela Galp Energia. O banco liderado por Nuno Amado recua 0,63% para 28,36 cêntimos, enquanto a petrolífera desce 1,64% para 15,845 euros.

 

Juros de Portugal sobem antes da Moody’s

Os juros da dívida portuguesa estão a subir em todas as maturidades, no dia em que a Moody’s poderá retirar a dívida portuguesa do patamar de investimento especulativo – o chamado "lixo". Além da Moody’s, também a canadiana DBRS poderá pronunciar-se esta sexta-feira sobre a classificação e perspectivas para a dívida de Portugal. 

 

A ‘yield’ associada às obrigações portuguesas a dez anos sobe 2,9 pontos para 1,685%, acompanhando a tendência de agravamento que se estende à generalidade dos países do euro. Em Espanha, os juros no prazo de referência avançam 2,0 pontos para 1,304%, em Itália sobem 2,5 pontos para 1,806% e na Alemanha crescem 0,4 pontos para 0,604%.  

 

Euro recua pelo segundo dia

A moeda única europeia está a negociar em baixa face ao dólar pela segunda sessão consecutiva, numa altura em que cresce a expectativa de que o BCE adie a definição do seu plano de retirada dos estímulos à economia.

 

Segundo a Bloomberg, a maioria dos economistas ainda antecipa que o programa de compra de activos deverá terminar este ano, mas Draghi deverá demorar mais tempo a comunicar o próximo passo em direcção à normalização da política monetária.

 

Nesta altura, o euro cai 0,04% para 1,2340 dólares.

  

Petróleo a caminho da segunda semana de ganhos

O petróleo está a negociar em baixa ligeira, mas preparar-se para completar, esta sexta-feira, a segunda semana consecutiva de ganhos.

Esta evolução acontece numa altura em que se espera novidades de uma reunião entre os membros da OPEP, na Arábia Saudita, sendo que o cartel tem mantido a convicção de que é necessário continuar com os cortes na produção para eliminar o excedente.

 

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, cai 0,23% para 68,13 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, perde 0,12% para 73,69 dólares.

 

Ouro contraria dólar

O metal precioso está a negociar em queda pela segunda sessão consecutiva, contrariando a evolução do dólar norte-americano, que está a subir, esta sexta-feira, pelo quarto dia.

 

O ouro recua 0,27% para 1.341,90 dólares, enquanto a prata desce 0,64% para 17,1387 dólares. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI