Mercados num minuto Abertura dos mercados: Europa em alta pela quarta sessão com euro a aliviar de máximos de três anos

Abertura dos mercados: Europa em alta pela quarta sessão com euro a aliviar de máximos de três anos

As bolsas europeias estão a valorizar pela quarta sessão consecutiva, num dia em que os mercados norte-americanos estarão encerrados. O euro alivia de máximos de três anos e o petróleo segue em alta.
Abertura dos mercados: Europa em alta pela quarta sessão com euro a aliviar de máximos de três anos
Reuters

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,13% para 5.505,56 pontos

Stoxx 600 ganha 0,23% para 380,85 pontos

Nikkei valorizou 1,97% para 22.149,21 pontos
Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem para 2,021%

Euro recua 0,09% para 1,24 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,46% para 65,14 dólares o barril

 

Bolsas europeias em alta há quatro dias

As principais praças europeias estão esta segunda-feira em alta, subindo assim pela quarta sessão consecutiva. As acções europeias vão centrar as atenções dos investidores neste arranque de semana, uma vez que as praças americanas vão estar encerradas por se comemorar o aniversário do primeiro presidente do país, George Washington. Nasceu a 22 de Fevereiro, mas as bolsas assinalam a efeméride na segunda.

A pausa em Wall Street surge depois de na semana passada os índices das bolsas norte-americanas terem registado uma forte recuperação, com o S&P500 a conseguir a maior subida em cinco anos.

O Stoxx600 sobe esta segunda-feira 0,23% para 380,85 pontos, depois de a última semana ter sido a melhor em mais de um ano.

Em Lisboa, o PSI-20 ganha 0,13% para 5.505,56 pontos. Destaque para os títulos da Semapa, que sobem 2% para 18,36 euros, depois de na sexta-feira ter comunicado ao mercado que terminou o ano passado com um resultado líquido atribuível aos accionistas de 124,1 milhões de euros, o que representa um crescimento de 8% face a 2016.

Juros portugueses em alta

Os juros da dívida portuguesa estão hoje em alta, em linha com a tendência que se verifica em Espanha, Itália e Irlanda.             

 

A yield associada às obrigações portuguesas a dez anos sobem para 2,021%, contra 1,991% na sexta-feira.

 

Em Espanha, os juros agravam-se para 1,489% e em Itália sobem para 2,010%.  

 

Euro alivia de máximos de 2014

A moeda única europeia está em queda ligeira face ao dólar depois de ter chegado a negociar, na sexta-feira, no valor mais elevado desde Dezembro de 2014, nos 1,2556 dólares. Nesta altura, o euro desce 0,09% para 1,24 dólares.

 

Isto num dia em que as atenções estão centradas na votação do substituto de Vítor Constâncio para a vice-presidência do Banco Central Europeu (BCE), com Luis de Guindos e Philip Lane como candidatos.

 

A moeda dos Estados Unidos tem sido penalizada pelos receios em torno do crescimento do défice comercial e orçamental dos Estados Unidos e pela especulação de que Washington poderá perseguir uma estratégia de dólar fraco.

 

Petróleo em alta nos mercados internacionais

O petróleo está a negociar em alta nos mercados internacionais, seguindo a trajectória de recuperação que levou a matéria-prima a completar, na sexta-feira, a primeira semana de ganhos em três, impulsionada pela descida do dólar.

 

Isto apesar de o número de plataformas de perfuração nos Estados Unidos ter aumentado para o nível mais alto desde Abril de 2015, ainda que este ano só tenham sido acrescentadas 51, o que compara com 72 no mesmo período do ano passado.

 

Nesta altura, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, sobe 0,79% para 62,17 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, valoriza 0,46% para 65,14 dólares.

 

Ouro e prata em queda

O metal amarelo está a recuar 0,48% para 1.349,70 dólares por onça, enquanto a prata desce 0,49% para 16,63 dólares, de acordo com a CNN.

 

 

 

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
COLX 19.02.2018

Não se percebe bem a utilidade destes comentários matinais sobre a subida ou descida do PSI20. É que se á hora da publicação o índice estava positivo á hora em que envio este comentário (10 horas) já a maioria dos titulos estão em terreno negativo (embora de forma ligeira) e o mesmo se passa com várias praças da Europa

pub