Mercados num minuto Abertura dos mercados: Investidores em modo de espera deixam bolsas pouco alteradas e ouro em máximos de junho

Abertura dos mercados: Investidores em modo de espera deixam bolsas pouco alteradas e ouro em máximos de junho

As bolsas europeias estão divididas entre ganhos e perdas ligeiras, com os investidores à espera da votação do Brexit, do fim da reunião da Fed e do início das negociações entre China e EUA. O dólar está em mínimos de duas semanas e o ouro em máximos de junho.
Abertura dos mercados: Investidores em modo de espera deixam bolsas pouco alteradas e ouro em máximos de junho
Reuters
Rita Faria 29 de janeiro de 2019 às 09:13

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,12% para 5.083,89 pontos

Stoxx 600 ganha 0,01% para 354,42 pontos

Nikkei valorizou 0,08% para 20.664,64 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 0,1 pontos para 1,648%

Euro soma 0,18% para 1,1449 dólares

Petróleo em Londres cai 0,18% para 59,82 dólares o barril

 

Bolsas europeias sem tendência definida

As bolsas europeias estão a negociar sem uma tendência definida esta terça-feira, 29 de janeiro, com os investidores à espera de uma série de acontecimentos, como a votação do plano alternativo do Brexit, esta tarde, a reunião da Fed, na quarta-feira, e as negociações entre os Estados Unidos e a China, que arrancam amanhã, depois de mais um foco de tensão entre os dois países.

 

Isto depois de os Estados Unidos terem acusado formalmente a gigante chinesa Huawei de fraude bancária e espionagem industrial, marcando um novo capítulo da disputa entre as duas maiores economias do mundo.

 

Com as ações em "modo de espera", o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,01% para 354,42 pontos.

 

Na bolsa nacional, o PSI-20 desce 0,12% para 5.083,89 pontos, penalizado sobretudo pelo BCP e Sonae. O banco liderado por Miguel Maya recua 0,7% para24,15 cêntimos enquanto a Sonae desliza 1,88% para 91,2 cêntimos.  

 

Juros pouco alterados na Europa

Os juros da dívida portuguesa estão a subir 0,1 pontos para 1,648% no prazo a dez anos, numa altura em que, na generalidade dos países do euro, as variações são pouco expressivas. Em Espanha, a yield associada às obrigações no mesmo prazo cai 0,1 pontos para 1,219%, e em Itália recua 0,4 pontos para 2,661%. Na Alemanha, os juros a dez anos sobem 0,4 pontos para 0,209%.

 

Dólar cai para mínimos de duas semanas

A divisa norte-americana está a cair pela terceira sessão consecutiva face às principais congéneres mundiais, penalizada pela renovada tensão entre os Estados Unidos e a China, em vésperas de nova ronda negocial entre os dois países, e antes da reunião da Fed, em que o banco central poderá dar indicações sobre o rumo da política monetária em 2019.

 

O dólar está a deslizar 0,11% e a negociar no valor mais baixo desde 15 de janeiro. Já a moeda única europeia sobe 0,18% para 1,1449 dólares, o nível mais alto das duas últimas semanas.

 

Petróleo em queda ligeira

O petróleo segue em baixa ligeira nos mercados internacionais, numa altura em que os receios em torno da desaceleração global estão a sobrepor-se às preocupações com o impacto das sanções dos Estados Unidos à petrolífera estatal da Venezuela.

O Brent, negociado em Londres, cai 0,18% para 59,82 dólares, enquanto o WTI, transacionado em Nova Iorque, cede 0,04% para 51,97 dólares.

 

Ouro em máximos de junho

 

Com o dólar em queda, o metal amarelo segue com sinal positivo, a refletir os receios com o novo foco de tensão entre os Estados Unidos e a China, precisamente quando os dois países se prepararam para dar início, em Washington, a mais uma ronda de negociações sobre o comércio.

 

O ouro ganha 0,41% para 1.308,64 dólares, enquanto a prata valoriza 0,89% para 15,8837 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI