Mercados num minuto Abertura dos mercados: Resultados e acordo nos EUA sobre teto da dívida animam ações europeias

Abertura dos mercados: Resultados e acordo nos EUA sobre teto da dívida animam ações europeias

As bolsas europeias estão a negociar em alta pela terceira sessão consecutiva, enquanto os juros da dívida seguem em queda antes de uma série de eventos políticos. O petróleo sobe e o ouro cai.
Abertura dos mercados: Resultados e acordo nos EUA sobre teto da dívida animam ações europeias
Bloomberg
Rita Faria 23 de julho de 2019 às 09:31

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,48% para os 5.206,39 pontos

Stoxx 600 valoriza 0,58% para os 390,00 pontos

Nikkei ganhou 0,95% para 21.620,88 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos recuam 0,5 pontos para 0,447%

Euro cai 0,18% para 1,1189 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,17% para 63,37 dólares o barril

Bolsas europeias sobem pela terceira sessão

As bolsas europeias estão a negociar em alta esta terça-feira, 23 de julho, pela terceira sessão consecutiva, animadas por um série de resultados de empresas, pelo acordo nos EUA sobre o teto da dívida e pela expectativa em torno da reunião do BCE, esta quinta-feira, em que o presidente Mario Draghi deverá reafirmar o compromisso de avançar com novos estímulos, se necessário, para suportar o crescimento da economia.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, soma 0,58% para os 390,00 pontos, o valor mais alto em mais de duas semanas, animado sobretudo pela banca e pelo setor automóvel. Neste último destaque para a Faurecia, que dispara mais de 7%, depois de ter confirmado as estimativas de resultados para o conjunto do ano, apesar da ligeira quebra no primeiro semestre.

Também o suíço UBS valoriza cerca de 1%, depois de ter anunciado os melhores resultados num segundo trimestre desde 2010.

Na bolsa nacional, o PSI-20 sobe 0,48% para os 5.206,39 pontos, impulsionado sobretudo pelo BCP, Galp e Navigator. O banco liderado por Miguel Maya ganha 0,74% para 27,10 cêntimos, a petrolífera sobe 0,43% para 14,035 euros e a Navigator valoriza 1,38% para 3,244 euros.

Juros em baixa ligeira

Os juros da dívida dos países do euro seguem em baixa ligeira esta terça-feira, antes de uma série de eventos, que poderão redefinir o quadro político em algumas das maiores economias da região. Entre esses eventos conta-se uma reunião entre os líderes dos partidos que formam a coligação de governo em Itália, Salvini e di Maio.

"Os investidores estão à espera para ver se o governo vai sobreviver", afirmou o estratega do DZ Bank, Daniel Lenz, à Reuters. "Uma possibilidade é a coligação continuar, mas ambos concordarem em substituir (Giuseppe) Conte como primeiro-ministro, o que seria um sinal muito mau".

No Reino Unido, Boris Johnson deverá ser eleito o sucessor de Theresa May na liderança dos Conservadores e no cargo de primeiro-ministro, enquanto em Espanha Pedro Sánchez tentará a investidura, que só deverá ser confirmada numa segunda votação, na quinta-feira.

Nesta altura, a yield das obrigações espanholas a dez anos cai 0,8 pontos para 0,376% enquanto os juros das obrigações portuguesas descem 0,5 pontos para 0,447%. Em Itália, os juros recuam 2,5 pontos e na Alemanha sobem 0,2 pontos para -0,348%.

Libra desce pela terceira sessão

A moeda britânica está a desvalorizar face ao dólar pela terceira sessão consecutiva, no dia em que serão revelados os resultados da votação dos tories, que escolhem entre Boris Johnson e Jeremy Hunt para substituir Theresa May na liderança do Partido Conservador e no cargo de primeiro-ministro.

 

Boris Johnson, que defende a saída do Reino Unido da União Europeia com ou sem acordo, é apontado como o mais provável vencedor.

 

A libra desce 0,26% para 1,2443 dólares, depois de já ontem ter perdido 0,21%.

Tensão no Golfo Pérsico mantém petróleo em alta

O petróleo está a valorizar nos mercados internacionais pela terceira sessão consecutiva, impulsionado pela tensão no Golfo Pérsico, que ameaça provocar disrupções no fornecimento desta matéria-prima.

O secretário de Estado dos EUA, Michael Pompeo, disse na segunda-feira que os EUA sancionaram um comerciante de petróleo estatal chinês por violar as restrições impostas pela Casa Branca ao petróleo iraniano. Ao mesmo tempo, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Jeremy Hunt, anunciou que os governos europeus vão montar uma missão naval para garantir uma passagem segura aos navios naquela região, depois de o Irão ter capturado um petroleiro britânico.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, sobe 0,14% para 56,30 dólares, enquanto o Brent, transacionado em Londres, ganha 0,17% para 63,37 dólares.  

Ouro em queda

O ouro segue com sinal vermelho depois de os responsáveis políticos norte-americanos terem chegado a um acordo sobre o limite do endividamento, aumentando o apetite dos investidores por ativos mais arriscados. O presidente Donald Trump anunciou o acordo para suspender o teto da dívida e aumentar os gastos, evitando o risco de um "default".

Com a subida da nota verde, o metal amarelo desce 0,43% para 1.418,79 dólares, enquanto a prata sobe 0,08% para 16,3771 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI