Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Abertura dos mercados: Investidores pesam resultados dos testes de stress à banca

Os mercados asiáticos reagiram positivamente aos resultados dos testes de stress do BCE, já que nenhum dos maiores bancos europeus revelou deficiências de capital. Das 130 instituições analisadas, 25 chumbaram e destes, 12 já reforçaram o capital, pelo que não terão de tomar novas medidas.

Bloomberg
Rita Faria afaria@negocios.pt 27 de Outubro de 2014 às 07:52
  • Partilhar artigo
  • ...

Esta segunda-feira, 27 de Outubro, os mercados estão a reagir aos testes de stress realizados pelo Banco Central Europeu (BCE) a 130 instituições financeiras, e cujos resultados foram conhecidos no domingo. Dos 130 bancos analisados, 25 chumbaram, elevando para 25 mil milhões de euros as necessidades totais de capital. No entanto, a autoridade monetária garante que 12 já tomaram iniciativas durante 2014 para cobrir as deficiências de capital.

 

Dos três bancos portugueses em análise, a Caixa Geral de Depósitos e o BPI passaram, enquanto o BCP chumbou, em grande medida devido à exposição ao défice tarifário da EDP.

 

Os mercados asiáticos reagiram de forma positiva aos resultados ontem divulgados, uma vez que nenhum dos maiores bancos europeus revelou deficiências de capital. O japonês Topix avançou 0,96% para 1.254,28 pontos enquanto o Nikkei subiu 0,63% para 15.388,72 pontos.

 

"A maioria das pessoas espera que os mercados registem alguns ganhos adicionais", afirmou, em declarações à Bloomberg, Donald Williams, director de investimentos da Platypus Asset Management. "As autoridades europeias insistiram muito no problema e vão continuar a inundar o mercado de liquidez. O grande problema da Europa nos últimos anos já é uma notícia velha agora".

 

No mercado das matérias-primas, o West Texas Intermediate (WTI) negoceia inalterado em 81,01 dólares por barril, enquanto o Brent, negociado em Londres e que serve de referência às importações europeias cai 0,21% para 85,95 dólares por barril. Isto depois de o Goldman Sachs ter cortado as estimativas de preço para a matéria-prima, prevendo que oferta dos produtores que não pertencem à OPEP supere a procura global.

 

O euro sobe 0,2% para 1,2695 dólares.

 

Esta segunda-feira, além de pesarem os resultados dos testes de stress, os investidores estarão atentos à divulgação do índice Ifo de clima empresarial da Alemanha relativo a Outubro, que deverá ter registado uma queda ligeira em relação a Setembro. 

Ver comentários
Saber mais Banco Central Europeu Caixa Geral de Depósitos BPI BCP mercado financeiro macroeconomia economia negócios e finanças mercado cambial mercado e câmbios Europa Londres
Outras Notícias