Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Acções da Impresa desvalorizam após resultados

O BPI considera que os números divulgados ontem pela Impresa são «negativos», com a empresa liderada por Pinto Balsemão a registar fracas performances de receitas em todas as divisões.

Paulo Moutinho 28 de Abril de 2006 às 11:05
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O BPI considera que os números divulgados ontem pela Impresa são «negativos», com a empresa liderada por Pinto Balsemão a registar fracas performances de receitas em todas as divisões.

A empresa detentora da SIC revelou ontem, após o fecho do mercado, que os lucros do grupo caíram 95% no primeiro trimestre deste ano, passando de 3,3 milhões de euros no período homólogo para 166 mil euros.

No primeiro trimestre, a Impresa apresentou receitas consolidadas de 53,6 milhões de euros nos primeiros três meses de 2006, um valor que representa uma descida de 12% face ao mesmo período de 2005.

No Iberian Daily de hoje, o analista Tiago Veiga Anjos afirma que as fracas audiências obtidas pela SIC nos primeiros três meses do ano, que levaram a uma quebra nas receitas já era de algum modo esperado pela casa de investimento, no entanto, a quebra das receitas dos jornais e das revistas «surpreendeu-nos negativamente».

Na mesma nota de «research», o BPI faz referência ainda ao aumento da dívida líquida da Impresa, «em 9 milhões de euros durante o primeiro trimestre, devido ao baixo «free-cash-flow» gerado e com as aquisições de direitos de programas para SIC», refere.

Segundo o BPI, a empresa detentora da estação de televisão SIC apresentou um novo «guidance» para este ano, onde estima um crescimento das receitas e dos lucros em 2006, sem «entrar em mais detalhes».

O banco de investimento, que tem uma recomendação de «comprar» e um preço-alvo de 6,05 euros para a Impresa, afirma que deverá «rever a sua estimativa e a sua avaliação da empresa após estes resultados».

As acções da Impresa [ipr] seguiam a recuar 1,75% para os 5,04%, depois de ter chagado a desvalorizar mais de 3% durante a negociação de hoje.

Outras Notícias