Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Acções da Vodafone caem 4,55% com especulação de compra da Sprint

As acções da Vodafone caíram um máximo de 4,55% depois do «Wall Street Journal» ter noticiado que a operadora móvel está a considerar formar uma «joint venture» com a parceira Verizon Communications para controlar a Sprint.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 14 de Dezembro de 2004 às 11:48
  • Partilhar artigo
  • ...

As acções da Vodafone caíram um máximo de 4,55% depois do «Wall Street Journal» ter noticiado que a operadora móvel está a considerar formar uma «joint venture» com a parceira Verizon Communications para controlar a Sprint.

Segundo a mesma fonte, a Vodafone vai provavelmente deter uma participação de 45% na nova «joint venture» a constituir, o mesmo que detém na Verizon Wireless.

O resto dos mais de 40 mil milhões de dólares (30,06 mil milhões de euros) relativo ao preço total, seria pago pela Verizon.

«Este é um assunto da Verizon, não é uma tema para nós e não temos quaisquer comentários a fazer», disse o porta-voz da Vodafone, Bobby Leach, à Bloomberg.

Uma oferta poderia terminar a tentativa, por parte da Spring, para efectuar uma fusão, no valor de 35 mil milhões de dólares (26,3 mil milhões de euros) com a Nextel Communications, segundo o jornal citado.

No mês passado, o presidente executivo da Vodafone, Arun Sarin, disse não estar interessado em fazer ofertas por quaisquer activos móveis norte-americanos.

Segundo o «Wall Street Journal», a operadora móvel Vodafone quer apoiar uma aquisição da Sprint por parte da Verizon uma vez que planeia manter a presença nos Estados Unidos da América, embora não pretenda adquirir a própria Spring.

Através do acordo de accionistas da Vodafone com a Verizon Communications, uma oferta da Verizon à Sprint iria requerer a aprovação de ambos os parceiros.

As acções da Vodafone também caíram depois da Goldam Sachs ter hoje revisto em baixa a recomendação para os títulos da empresa, de «outperform» para «in-line», citando a ideia de que as suas acções não vão ter um comportamento tão bom quanto os títulos de outras operadoras móveis nos próximos 12 meses.

As acções da Vodafone seguiam a cair 4,02% para os 137,25 pence depois de terem desvalorizado um máximo de 4,55% para os 136,5 pence.

Ver comentários
Outras Notícias