Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Acções nacionais fecham a subir ajudadas por PT, EDP e Cimpor (act)

As acções nacionais fecharam a subir, no dia em que a plataforma de negociação da Bolsa nacional foi integrada na Euronext. O PSI-20 fechou a ganhar 0,95%, beneficiando das valorizações da EDP, Cimpor e Sonae. A PT e a Jerónimo Martins fixaram novos máxi

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 07 de Novembro de 2003 às 17:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As acções nacionais fecharam a subir, no dia em que a plataforma de negociação da Bolsa nacional foi integrada na Euronext. O PSI-20 fechou a ganhar 0,95%, beneficiando das valorizações da EDP, Cimpor e Sonae. A PT e a Jerónimo Martins fixaram novos máximos do ano.

O PSI-20 [PSI20] terminou a sessão nos 6.415,28 pontos, com nove empresas a subir, sete a descer e quatro inalteradas. O volume de negócios foi de 62 milhões de euros, um valor considerado normal para a Bolsa nacional, cuja plataforma de negociação passou hoje a ser integrada na Euronext Lisbon.

Na semana que hoje termina o índice nacional acumulou uma valorização de 1,77%, na melhor performance desde o período de cinco dias terminado a 3 de Outubro.

Tal como era esperado a sessão de hoje decorreu de forma normal apesar da migração da bolsa nacional para a Euronext.

As acções da Electricidade de Portugal [EDP] e da Portugal Telecom foram as principais responsáveis pela valorização do índice nacional, com a eléctrica a crescer 2,56% para os 2 euros, no dia em que teve inicio a Cimeira Luso-Espanhola, onde o sector da energia é um dos principais pontos da agenda.

A Portugal Telecom [PTC] somou 1,81% para os 7,33 euros, fixando um novo máximo do ano nos 7,34 euros. A Jerónimo Martins [JMAR] também bateu um máximo anual nos 8,50 euros, fechando a subir 2,44% para os 8,40 euros.

A Ahold anunciou hoje que quer encaixar 2,5 mil milhões de euros com a venda de activos até 2005, mas não mencionou a sua participação de 49% na Jerónimo Martins Retalho.

Também com ganhos acima dos 2% a Cimpor [CIMP] trepou 2,63% para os 3,90 euros e a Sonae cresceu 3,39 % até aos 0,61 euros. A empresa de Belmiro de Azevedo rejeitou hoje a ideia de existir um «braço de ferro» com o Governo, quanto ao modelo a seguir na privatização da Portucel.

Ainda no lado dos ganhos a Brisa [BRISA] cresceu 0,19% para os 5,35 euros, no dia em que a sua participada brasileira CCR anunciou lucros no terceiro trimestre, contra prejuízos no período homólogo.

O Banco Comercial Português [BCP], que vinha de três sessões a subir mais de 1%, foi o principal responsável pelo menor ganho do índice, ao recuar 0,58% para os 1,72 euros.

Mais lidas
Outras Notícias