Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Agência Internacional de Energia prevê aumento da procura mundial de petróleo em 2008

O preço do petróleo reagiu em alta às previsões da Agência Internacional de Energia (AIE) que apontam para um subida da procura mundial de petróleo em 2008. A AIE revelou hoje que as reservas dos países industrializados caíram para o nível mais baixo dos

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 14 de Dezembro de 2007 às 12:52
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O preço do petróleo reagiu em alta às previsões da Agência Internacional de Energia (AIE) que apontam para uma subida da procura mundial de petróleo em 2008. A AIE revelou hoje que as reservas dos países industrializados caíram para o nível mais baixo dos últimos cinco anos.

O West Texas Intermediate [cl1], negociado em Nova Iorque, avança 0,38% para os 92,60 dólares e o barril de "brent" [co1], negociado em Londres, ganha 0,74% para os 92,80 dólares.

As previsões da AIE indicam que em 2008 a procura mundial de petróleo vai subir 2,5%, ou 115 mil barris diários, para os 87,8 milhões de barris diários. Este valor representa uma subida de 110 mil barris face às anteriores previsões da AIE.

O relatório da AIE revela ainda que as reservas de crude e combustível nos países da OCDE caíram em 22,4 milhões de barris, em Outubro, para o nível médio mais baixo dos últimos cinco anos.

Segundo a agência, a perspectiva de que a OPEP – Organização dos Países Exportadores de Petróleo pode aumentar a produção durante os meses de Inverno, ajudou a travar a subida dos preços do petróleo.

A oferta de petróleo do Iraque e de Angola subiu em 400 mil barris diários, entre Agosto e Novembro deste ano, o que ajudou a anular a queda da oferta dos Emirados Árabes Unidos.

"Estamos a ver uma resposta do lado da oferta", disse Lawrence Eagles, autor do relatório mensal da AIE.

No entanto, os preços da matéria-prima deverão continuar elevados apesar do abrandamento económico nos Estados Unidos, já que 80% da procura mundial de petróleo ocorre na China, Índia e Médio Oriente, defende Francisco Blanch, analista da Merrill Lynch.

"Enquanto o crescimento nestas regiões continuar suportado por taxas de juro subavaliadas e subsídios à energia, a procura de petróleo, carvão e gás vai continuar a crescer", refere Blanch.

No caso da Índia, a AIE prevê que a procura de petróleo suba, em 2007, 5,1% para os 2,8 milhões de barris diários devido ao crescimento do tráfego aéreo.

Mais lidas
Outras Notícias