Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Analistas acreditam acções da Impresa beneficiarão com Euro 2004

As acções da Impresa, que subiram 92% em 2003, poderão valorizar ainda mais no próximo ano, uma vez que o Campeonato Europeu de Futebol (Euro 2004) vai levar os anunciantes a gastarem mais, consideram os analistas.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 30 de Dezembro de 2003 às 11:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As acções da Impresa, grupo de media que detém a SIC, que subiram 92% em 2003, poderão valorizar ainda mais no próximo ano, uma vez que o Campeonato Europeu de Futebol (Euro 2004) vai levar os anunciantes a gastarem mais, consideram os analistas.

«Durante a primeira metade, os números da Impresa poderão exceder as expectativas», defende Margarida Fialho, analista do Santander Central Espanha (SCH), que está a rever a sua recomendação para as acções, citada pela Bloomberg. Para a analista «as previsões da própria Impresa são um pouco conservadoras. Há bastante espaço para as acções valorizarem», explica.

A maior companhia portuguesa de media por receitas publicitárias, além de ter tido a melhor prestação no índice PSI-20 também ultrapassou a média de valorização de 7,4% do índice da Bloomberg para as empresas europeias do sector, este ano.

O grupo liderado por Pinto Balsemão tem estado a reduzir custos desde 2001, uma vez que as empresas gastaram menos em publicidade quer na estação de Carnaxide (SIC), nos jornais e nas revistas, num contexto de abrandamento económico.

Em Julho último a detentora da SIC anunciou o seu primeiro lucro trimestral, em três anos, relativamente ao trimestre terminado em Junho, com os custos a caírem de forma mais rápida do que as vendas.

Nos nove meses até Setembro, os custos operacionais caíram 6,8% face a igual período do ano passado.

A Impresa «teve um profundo processo de reestruturação e está agora bem posicionada para ter vantagem no sector», disseram analistas do banco BPI na sua previsão para 2004. «O Euro 2004 deverá ter impacto na publicidade em geral, mas a Impresa, com a publicidade na SIC e na recente aquisição da revista de desporto, será quem mais beneficiará», continuaram.

O banco BPI avalia a Impresa como uma «candidate», a segunda maior classificação entre as cinco que o BPI usa para as acções portuguesas com um valor de mercado mais pequeno («small caps»).

A Impresa tem um valor de mercado de cerca de 286 milhões de euros, ocupando o décimo quinto lugar, em matéria de tamanho, na lista dos 20 membros do índice bolsista português.

As acções da Impresa [IPR] seguiam a subir 0,88% para os 3,44 euros.

Ver comentários
Outras Notícias