Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Anúncio de demissão de Monti faz disparar os juros de Itália

Os juros implícitos nas obrigações de Itália dispararam depois de Mario Monti ter anunciado que se vai demitir depois da aprovação do orçamento do país para 2013. O índice espanhol cai mais de 3%.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 10 de Dezembro de 2012 às 11:18
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

O preço das obrigações soberanas de Itália caiu na primeira sessão em que os títulos transaccionaram depois de o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, ter anunciado a intenção de se demitir. Os juros implícitos nos títulos sobem mais de 30 pontos base nas maturidades até ao 10 anos.

A "yield" implícita nas obrigações a dois anos avança 31 pontos base para 2,288%, segundo as taxas genéricas da Bloomberg para o mercado secundário. A taxa de juro a cinco anos avança 31,9 pontos base para 3,712% e os juros das obrigações a 10 anos ascendem 27,4 pontos base para 4,799%.

Os investidores estão a vender a dívida de Itália depois de Mario Monti ter anunciado a intenção de se demitir após a aprovação do orçamento de Itália para 2013. O primeiro-ministro não-eleito da terceira maior economia da Zona Euro viu o Partido da Liberdade, de Sílvio Berlusconi, retirar-lhe o apoio.

Monti comunicou a intenção de se demitir ao Presidente da República de Itália, no sábado, dia 8 de Dezembro, dois dias depois de o Partido da Liberdade se ter abstido na aprovação de uma moção de confiança pedido por Mario Monti. Se os deputados, que abandonaram a sala do parlamento onde decorria a votação, tivessem votado contra a moção, o Governo teria caído. Sílvio Berlusconi anunciou na tarde de sábado que se irá recandidatar ao cargo que ocupou durante 10 anos.

A bolsa de Itália também reflecte a incerteza acrescida quanto ao futuro político do país. A Mibtel recua 3,29% para 15.183,03 pontos.

Investidores procuram refúgio em França e Alemanha

Os juros implícitos na dívida de Espanha estão a subir mais de 10 pontos base, na generalidade das maturidades. A "yield" da dívida madrilena a 10 anos avança 15,3 pontos base para 5,609%, enquanto os juros de França e da Alemanha estão em alta.

Os juros implícitos nas "bunds" alemãs, com maturidade de 10 anos, descem dois pontos base para 1,27% e a "yield" da dívida de França com a mesma maturidade avança recua 0,6 pontos base para 1,951%.

O comportamento dos juros portugueses é menos definido. Enquanto os juros a dois anos caem 11,8 pontos base para 3,968%, a "yield" a cinco anos avança 0,6 pontos base para 5,991% e a dívida a 10 anos recua 3,1 pontos base para 7,527%.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias