Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Apetite global por chocolate reduz estimativa de excedente de cacau

O mundo não consegue saciar a sua fome de chocolate. E o cacau é um dos principais beneficiados, pois vê assim diminuir o actual excedente mundial da oferta.

Bloomberg
Bloomberg 26 de Novembro de 2017 às 11:19
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A "enorme" procura nos mercados emergentes deve prosseguir na actual temporada e o terceiro maior processador mundial de cacau estima uma forte redução do excedente global. Com efeito, de acordo com Gerry Manley, director do departamento de cacau da Olam International, o excedente desta matéria-prima agrícola, que atingiu um recorde na temporada passada, provavelmente cairá para cerca de 50.000 toneladas.

 

A procura aumentou particularmente na Ásia, onde países como Filipinas, Indonésia, Índia e China estão a consumir mais cacau em pó, usado em produtos como biscoitos e gelados, disse Manley. E embora os agricultores na África Ocidental talvez tenham safras excepcionais pelo segundo ano consecutivo, é pouco provável que o maior produtor, a Costa do Marfim, repita a safra recorde da temporada passada.

 

"Estamos muito optimistas em relação à procura", disse Manley, em entrevista no escritório da empresa, em Londres, na passada quinta-feira. "Estamos a observar uma boa procura por cacau em pó em todo o mundo, mas os mercados emergentes estão à frente".

 

Os futuros de referência do cacau em Londres caíram 23% no ano passado, o maior declínio desde 2011, porque a produção bateu um recorde na Costa do Marfim e porque o Gana, segundo maior produtor, também colheu uma safra volumosa. As safras abundantes em África contribuíram para aumentar o excedente global a 371.000 toneladas, segundo estimativas da International Cocoa Organization, com sede em Abidjan.

 

Nesta temporada, o processamento global de cacau provavelmente aumentará mais de 3%, afirmou Manley, acrescentando que esta projecção é conservadora. O processamento cresceu mais de 5% na temporada de 2016-2017. Cerca de 8.000 produtos novos foram lançados no mercado de confeitaria no ano passado, sublinhou Manley.

 

Os custos mais baixos estão a estimular a procura e o mercado global de doçaria com chocolate expandiu-se 2,3% no período de três meses terminado em Junho e 2,2% no trimestre seguinte, afirmou o maior processador de cacau do mundo, a Barry Callebaut, citando dados da empresa de análise Nielsen. A recuperação chegou após pelo menos seis trimestres consecutivos de contracção.

 

Especulação

 

O segundo ano consecutivo de excedente irá provavelmente manter o cacau dentro de uma faixa de preços, mas determinados eventos macroeconómicos poderão obrigar os especuladores a cobrirem as suas posições vendidas. Os especuladores têm vindo a apostar, no último ano, numa queda dos preços do cacau em Londres, segundo os dados da bolsa ICE Futures Europe.

 

"Desde o começo de 2017, observamos uma correlação muito mais forte entre as posições vendidas brutas no cacau e no complexo agrícola geral, especialmente nas commodities agrícolas", comentou Charles Leslie, trader da Olam em Londres, na mesma entrevista. "Há uma influência macroeconómica muito maior sobre o cacau, e ela é provavelmente o maior risco para a alta".

Ver comentários
Saber mais Barry Callebaut International Cocoa Organization ICE Futures Europe Costa do Marfim Filipinas Índia Ásia Olam International Indonésia Charles Leslie Gerry Manley cacau chocolate
Mais lidas
Outras Notícias