Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Banca e exportadoras atiram bolsas europeias para mínimos de quase um mês

As bolsas europeias estão em queda pela terceira sessão, pressionadas pelos bancos e pelas empresas produtoras de matérias-primas, numa altura em que o euro sobe quase 0,5%.

Bloomberg
Rita Faria afaria@negocios.pt 03 de Maio de 2016 às 12:48
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

As bolsas europeias estão a negociar em queda esta terça-feira, 3 de Maio, pela terceira sessão consecutiva, com a valorização do euro a penalizar as empresas exportadoras e os títulos dos bancos a recuar na sequência de alguns resultados abaixo do esperado.  

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, cai 1,5% para 336,17 pontos, o valor mais baixo desde o dia 12 de Abril. O índice que reúne as maiores produtoras de matérias-primas desvaloriza mais de 4%, a maior descida desde Março, enquanto a banca perde quase 2%. Também as fabricantes automóveis estão entre as cotadas que mais pressionam, com a BMW a recuar 3,07% depois de ter apresentado resultados aquém das estimativas dos analistas.

Na banca, o UBS afunda 7,56% depois de ter apresentado uma mais queda nos resultados líquidos mais acentuada do que o previsto. A instituição financeira registou lucros de 707 milhões de francos suíços, quando os analistas esperavam 735 milhões.

Escreve a agência Bloomberg que só na unidade de banca de investimento do banco suíço os lucros recuaram 37% para 253 milhões de francos suíços. Em declarações à Bloomberg TV, o presidente executivo do banco Sergio Ermotti, 55 anos, afirmou que o primeiro trimestre do ano "marca a entrada num novo território". "Tivemos apenas uma constante: aversão ao risco desde 1 de Janeiro até ao final do trimestre", acrescentou. 

Também o Commerzbank derrapa 9,18% na sequência da queda dos resultados trimestrais.

Em sentido contrário seguem os títulos do BNP Paribas, com uma subida de 0,79%, depois de o banco francês ter surpreendido o mercado com um aumento dos lucros de 9%. A instituição beneficiou da redução das provisões para crédito malparado e viu os seus lucros aumentarem de 1,65 mil milhões para 1,81 mil milhões de euros.

Na Europa, as maiores descidas são protagonizadas pelo índice de Amesterdão, que recua 2,1% e pelo espanhol IBEX, que cai 2,09%. Foi confirmado esta terça-feira que os espanhóis vão voltar às urnas no próximo dia 26 de Junho, depois do fracasso das negociações para formar Governo.

O alemão DAX perde 1,68% (na mesma dimensão que o português PSI-20) e o francês CAC40 desce 1,52%. 

Ver comentários
Saber mais Europa BMW UBS DAX CAC40 Amesterdão mercado e câmbios bolsa Commerzbank HSBC bancos matérias-primas
Outras Notícias