Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Banca leva bolsa nacional a cair quase 1%

A bolsa nacional acompanha a tendência negativa das principais praças europeias, pressionada pelo sector financeiro, com destaque para o BES, que cai mais de 3%.

Rita Faria afaria@negocios.pt 07 de Abril de 2014 às 15:28
  • Assine já 1€/1 mês
  • 22
  • ...

A bolsa nacional segue a negociar em terreno negativo, com o PSI-20 a perder 0,93% para os 7.599,77 pontos. Das 20 cotadas que compõem o índice, 15 negoceiam em queda, três em alta e duas inalteradas.

 

A praça portuguesa acompanha, assim, a tendência das congéneres europeias que, por sua vez, seguem as perdas que se registam em Wall Street. O Stoxx600 desliza 0,95%.

 

Por cá, a pressionar o PSI-20 estão sobretudo as cotadas do sector financeiro, com destaque para o BES. O banco liderado por Ricardo Salgado perde 3,04% para 1,405 euros, enquanto o ESFG, a holding que detém o BES, desliza 0,7% para 4,387 euros.

 

Já o BCP desvaloriza 1,44% para 23,24 cêntimos, o Banif segue inalterado em 0,0122 euros e o BPI cai 1,01% para 1,954 euros. Este domingo, 6 de Abril, foi noticiado que Isabel dos Santos vai reforçar na administração do BPI.

 

A Santoro, "holding" da empresária angolana, vai passar a ter dois representantes no conselho de administração do Banco BPI. Mário Leite da Silva, eleito em 2009, era até agora o único representante da empresa angolana na gestão o Banco BPI, mas a lista que os accionistas vão votar na assembleia geral convocada para 23 de Abril contém mais um representante da Santoro.

 

A contribuir para a tendência negativa do PSI-20 estão também as empresas do sector da construção e do papel. Na construção, a Mota-Engil derrapa 2,95% para 5,437 euros e a Teixeira Duarte perde 0,35% para 1,126 euros.

 

No papel, a Altri perde 1,11% para 2,583 euros, a Portucel desvaloriza 1,33% para 3,344 euros e a Semapa desce 0,52% para 10,455 euros, no dia em que a empresa iniciou a subscrição de obrigações destinadas a pequenos investidores.

 

Semapa reabriu o mercado de obrigações com uma emissão de 100 milhões de euros. Estes títulos oferecem uma taxa bem mais baixa do que a praticada em anteriores operações do género, sendo que parte da remuneração é variável. Quem investir vai receber durante cinco anos 3,25% mais a Euribor a seis meses.

 

Na energia, a tendência é mista. A EDP valoriza 0,84% para 3,242 euros, a EDP Renováveis cai 0,39% para 4,863 euros e a REN segue inalterada em 2,85 euros. Já a Galp Energia recua 0,43%, depois de o Barclays ter reiterado a avaliação que faz das acções da petrolífera depois de concretizada a venda da participação da italiana Eni. A recomendação atribuída é de "overweight" ("comprar"), o que indica que a empresa irá superar o desempenho do sector, de acordo com as perspectivas do banco. O Barclays manteve o preço-alvo da Galp Energia em 17 euros por acção.

 

No retalho, a Jerónimo Martins avança 0,08% para 12,04 euros e a Sonae deprecia 1,35% para 1,385 euros. Nas telecomunicações, a Portugal Telecom regista um ganho ligeiro de 0,03% para 3,201 euros e a Zon Optimus perde 1,87% para 5,34 euros.

Ver comentários
Saber mais BES BCP BPI bolsa mercado e câmbios economia negócios e finanças
Outras Notícias