Bolsa Bank Millennium dispara após Polónia admitir ajudar a banca

Bank Millennium dispara após Polónia admitir ajudar a banca

A decisão do Tribunal Europeu de Justiça sobre a conversão dos créditos hipotecários concedidos em francos suíços para zlótis será conhecida esta quinta-feira. O governo já demonstrou disponibilidade de ajudar, caso seja necessário. O Bank Millennium está a disparar.
Bank Millennium dispara após Polónia admitir ajudar a banca
Reuters
Sara Antunes 03 de outubro de 2019 às 09:00

As ações do Millennium Bank estão a disparar, depois de o Governo polaco ter garantido que tem formas de ajudar os bancos se for necessário, no âmbito da decisão do Tribunal Europeu de Justiça sobre a conversão dos empréstimos hipotecários concedidos em francos suíços para zlótis.

 

As ações do Millennium Bank estão a subir 5,57% para 6,07 zlótis, tendo chegado a disparar um máximo de 10%.

 

A decisão do Tribunal será conhecida esta quinta-feira, 3 de outubro, mas antes vários responsáveis polacos já se pronunciaram, afirmando que qualquer se seja a decisão não será "revolucionária" e que será gradual. Além disso, há a garantia de que se for necessário o Governo poderá ajudar a banca.

 

O Governo tem ferramentas para ajudar os bancos se for necessário, garantiu o porta-voz do Executivo, Piotr Muller, citado pela Bloomberg.

 

Já o ministro das Finanças polaco, Jerzy Kwiecinski, considerou que a decisão do tribunal sobre os empréstimos hipotecários "terá certamente algum impacto", mas não será significativo, de acordo com declarações à agência polaca PAP, citadas pela Bloomberg.

 

A decisão do tribunal de Justiça Europeu só se aplicará a uma parte dos financiamentos concedidos em francos suíços, naquelas onde foram incluídas clausulas consideradas "abusivas" e "não há dúvida" de que em alguns casos isso aconteceu, realçou o ministro.

 

Jerzy Kwiecinski garante que as instituições polacas, seja o Ministério das Finanças, o banco central ou outro estão "preparadas" para atuar, adiantando que estão "disponíveis para cooperar."


"Não antecipo qualquer tipo de revolução", afirmou o ministro das Finanças. "Mas, em qualquer cas, teremos de estar preparados para implementar a decisão – seja ela qual for".

A banca polaca concedeu, durante anos, empréstimos hipotecários em francos suíços. Com a crise financeira mundial, a Suíça pôs fim à ligação do franco ao euro e estes empréstimos tornaram-se uma dor de cabeça, porque em alguns casos duplicaram de valor em zlótis.


Este contexto levou a que muitos proprietários tivessem dificuldade em pagar os empréstimos e muitos avançaram com processos contra a banca. Os clientes exigem a conversão dos créditos para zlótis com condições semelhantes às praticadas na altura em que foram concedidos os financiamentos, nomeadamente ao nível das taxas, bastantes inferiores à atualidade. Neste cenário, os bancos terão de assumir custos elevados.

Cerca de meio milhão de polacos contraíram empréstimos em francos, antes da crise financeira, em 2008, beneficiando de um zloty forte e de taxas de juro baixas na Suíça. Mas a crise financeira mundial trouxe uma subida acentuada do fraco, o que prejudicou os clientes, que ficaram com imóveis com um valor mais baixo do que a dívida à banca.

 

Os bancos deixaram de conceder este tipo de financiamento em 2012, mas havia muitos empréstimos em carteira com estas características. Com a ausência de apoio das autoridades, muitas famílias decidiram avançar com processos em tribunal contra os bancos, alegando, entre outras questões, que os contratos celebrados tinham cláusulas abusivas, nomeadamente no que respeita à determinação das taxas de juro.  

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI