Bolsa BCP e Galp dão terceira sessão de perdas ao PSI-20

BCP e Galp dão terceira sessão de perdas ao PSI-20

Lisboa, Madrid e Atenas contrariaram a tendência positiva das principais praças europeias. Por cá, o BCP e a Galp, com descidas superiores a 1%, foram as cotadas que mais penalizaram.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 23 de outubro de 2017 às 16:45

A bolsa nacional fechou em queda esta segunda-feira, 23 de Outubro, pela terceira sessão consecutiva, com o PSI-20 a desvalorizar 0,29% para 5.436,28 pontos. Das 18 empresas que formam o principal índice nacional, nove encerraram em baixa, oito em alta e uma inalterada.

 

À excepção de Lisboa, Madrid e Atenas, o dia é de ganhos ligeiros para as principais praças europeias, num dia em que os investidores estiveram atentos aos resultados trimestrais das empresas. Por outro lado, a Europa seguiu o optimismo dos principais mercados asiáticos, que beneficiaram da reeleição de Shinzo Abe, no Japão, e da expectativa de que o país continuará a promover políticas monetárias e reformas económicas pró-mercado.

 

Contrariando a tendência, a bolsa de Atenas deslizou 1,77% e a praça de Madrid cai 0,54%, penalizada pela instabilidade política no país. Isto depois de, no fim-de-semana, o Governo central ter anunciado que vai accionar o artigo 155 da Constituição e suspender a autonomia da Catalunha. As medidas acordadas esperam aprovação do Senado, na sexta-feira.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,20% para 390,92 pontos, impulsionado sobretudo pelas tecnológicas e ‘utilities’.

 

Em Lisboa, o BCP e a Galp Energia foram as cotadas que mais penalizaram o PSI-20. O banco liderado por Nuno Amado perdeu 1,62% para 25,5 cêntimos, enquanto a petrolífera nacional deslizou 1,14% para 15,56 euros.

 

No restante sector da energia, a EDP recuou 0,07% para 3,007 euros, a EDP Renováveis valorizou 0,81% para 7,06 euros e a REN encerrou inalterada em 2,67 euros.

 

A contribuir para a tendência negativa do PSI-20 estiveram ainda a Nos, com um recuo de 0,74% para 5,224 euros, e a Sonae, que perdeu 0,19% para 1,031 euros. A sua congénere do retalho, a Jerónimo Martins - que apresenta resultados esta quarta-feira - avançou 0,45% para 15,585 euros. 

Fora do PSI-20, a Impresa caiu 2,69% para 32,5 cêntimos, no dia em que o CaixaBI divulgou uma nota em que antecipa que a empresa fechou os primeiros nove meses do ano com um aumento dos prejuízos, que terão passado de 600 mil euros para 1,3 milhões no espaço de um ano.

(Notícia actualizada às 16:53)





Saber mais e Alertas
pub