Fundos de investimento BCP e retalhistas são as grandes apostas dos fundos na bolsa em 2018

BCP e retalhistas são as grandes apostas dos fundos na bolsa em 2018

O banco português e as empresas de distribuição são as cotadas que recolhem maior investimento por parte dos fundos de acções nacionais. As papeleiras também estão entre as preferidas.
BCP e retalhistas são as grandes apostas dos fundos na  bolsa em 2018
Patrícia Abreu 13 de março de 2018 às 07:00
BCP é o mais representado nas carteiras
O BCP continua a ser o título preferido dos gestores de acções nacionais para investir na bolsa portuguesa. O banco português capta 19,6 milhões de euros, representativos de mais de 12% do capital aplicado em acções. A redução do crédito malparado e a recuperação da economia nacional justificam a aposta no BCP.

19,6M€ Investimento
O BCP capta 19,6 milhões.


Sonae e Jerónimo captam 15,5% do património
O sector do retalho é uma das grandes apostas dos fundos para este ano. As perspectivas positivas para a economia nacional têm levado os gestores a recomendar a exposição às empresas domésticas, uma tendência que se reflecte nas carteiras dos fundos. Sonae e Jerónimo Martins captam 8,4% e 7,1 do património.

8,4% Investimento
Sonae recebe 8,4% do capital.


Petrolífera Galp é a terceira maior participação
A Galp Energia é a terceira maior participação nas carteiras dos fundos. A companhia recebe 7,5% do investimento em acções nacionais. A empresa deverá ser beneficiada com o aumento do consumo de combustíveis em Portugal e com a recuperação dos preços do petróleo nos mercados internacionais.

7,5% Investimento
A Galp recebe 7,5% do capital.


Exposição à economia nacional coloca Nos entre as apostas
Os gestores de acções nacionais estão confiantes de que a economia portuguesa vai manter o ritmo de recuperação, ajudando as empresas mais expostas ao mercado nacional, como é o caso da Nos. A operadora recolhe 7,27%, ou 11,6 milhões de euros, do investimento em acções. Está entre o "top 5".

11,6M€ Investimento
Nos capta 11,6 milhões.


Papeleiras continuam a recolher preferência
As empresas do sector da pasta e do papel já eram, no ano passado, uma das apostas dos fundos de acções nacionais. E continuam a estar entre as empresas que recolhem maior percentagem de capital destes produtos de investimento. Navigator e Altri captam juntas 12,6% do património.

7% Investimento
Navigator capta 7% do capital.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
a mãezinha do RPG já vai em 50cm 13.03.2018



ó cleriano ó rpg ó massinhas então os CORNOS da tua querida mãezinha já chegaram aos 50 centimetros é obra agora vê lá se os do teu paizinho também chegam aos 50 cm era o ideal

Empurrão 13.03.2018

Não é só agora , este jornal continua a empurrar para a frente estas cotadas, pensando que estão a fazer um bom trabalho, só que isto em bolsa funciona ao contrário, os investidores sabem o que devem fazer, não precisam de conselhos, deixem a bolsa funcionar,

General Ciresp 13.03.2018

Oh minha rica filha,sera q eu 1 dia vou desabafar contigo coisas alegres:esta a ser noticia hoje q a Turquia,Egipto e Grecia vao ter um ano excelente de turistas.Se os PKK nao nos derem1 ajuda,la se vai o melhor tecido comercial portugues pela agua abaixo.Ja nao restam duvidas de q caminhamos inclin

General Ciresp 13.03.2018

Oh minha rica filha,escuta esta rapariga,Um dos maiores bancos do centro da Europa(ING)ia dobrar salario do director de1,5milhoes anuais para os3.000.000de euros,se tao depressa sai a noticia,mais depressa cai chuva de criticas dos clientes ameacarem o abandono do banco seguido de trovoada do govern

ver mais comentários
pub