Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCP afunda quase 5% para mínimos de oito meses e quebra “linha da vida”

As acções do Banco Comercial Português (BCP) fecharam em forte queda, de quase 5%, para mínimos de Abril deste ano, quebrando a “linha da vida” dos 10 mil milhões de euros. Os restantes títulos da banca nacional, BPI e BES, também registaram perdas acentu

Paulo Moutinho 13 de Dezembro de 2007 às 17:05
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As acções do Banco Comercial Português (BCP) fecharam em forte queda, de quase 5%, para mínimos de Abril deste ano, quebrando a "linha da vida" dos 10 mil milhões de euros. Os restantes títulos da banca nacional, BPI e BES, também registaram perdas acentuadas, em sintonia com a movimentação do sector na Europa.

Os títulos da instituição liderada por Filipe Pinhal recuaram 4,86% para encerrarem a sessão a cotar nos 2,74 euros, o valor de fecho mais baixo dos últimos oito meses, que confere ao maior banco privado nacional uma capitalização bolsista de 9,89 mil milhões de euros, abaixo da "linha da vida". O anterior CEO do BCP, Paulo Teixeira Pinto, definiu os 10 mil milhões de euros como o limite para um banco estar a menos vulnerável a uma OPA.

Na negociação intradiária, a cotação de fecho de hoje do BCP foi o valor mais baixo desde finais de Setembro.

Com esta queda, os títulos do BCP anularam os ganhos do ano e registam agora uma performance negativa de 2,14%. A forte descida das acções acontece no dia em que um dos accionistas de referência do banco, Joe Berardo, vai à Procuradoria Geral da República falar de suspeitas sobre o BCP. No entanto, os investidores terão reagido mais aos temores do mercado quanto a um eventual abrandamento económico mundial.

O sector financeiro da Europa viveu uma sessão negativa, com o Dow Jones Euro Stoxx Banks a desvalorizar 2,6% para os 409,57 pontos, agravando a já má performance de 2007, ao acumular uma quebra de 8,3%. Para o sentimento pessimista no sector contribuiu a perspectiva de que a acção conjunta de vários bancos centrais, entre eles a Fed e o BCE, no sentido de injectar mais liquidez no mercado, não será suficiente para evitar um abrandamento do ritmo de crescimento das economias.

Os restantes bancos cotados na praça lisboeta também sofreram, com o Banco BPI [bpin] a perder 3,49% para 5,25 euros, um novo mínimo de Março de 2006, anterior ao lançamento da OPA do BCP sobre a instituição. O BES [besnn] também não escapou, cedendo 1,9% para 15,50 euros, enquanto o Banif [banin], fora do PSI-20, desceu 4,16% para 4,15 euros.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias