Trading Bill Gates: "As criptomoedas estão a matar pessoas"

Bill Gates: "As criptomoedas estão a matar pessoas"

O multimilionário não poupou críticas às moedas digitais. Um investimento mau e criminoso, defende.
Bill Gates: "As criptomoedas estão a matar pessoas"
reuters, bloomberg
Mariana Adam 05 de março de 2018 às 15:18

O fundador da Microsoft gerou controvérsia ao ter afirmado que as criptomoedas são perigosas porque são utilizadas em negócios de droga, terrorismo e lavagem de dinheiro. Bill Gates repetiu, várias vezes, que "esta é uma tecnologia que causa directamente mortes". "As criptomoedas estão a matar directamente pessoas!".

Num debate na rede social Reddit (numa sessão de Ask Me Anything – onde o público coloca perguntas ao entrevistado, por regra uma celebridade), Bill Gates apontou baterias às criptomedas cuja "principal característica é o anonimato" e que, defende, serve essencialmente "para facilitar a vida aos criminosos".


Bill Gates acrescentou: "Neste momento, as criptomoedas são usadas para comprar fentanilo (opiáceo) e outras drogas. É uma tecnologia que causa mortes de uma forma bastante directa.

Além disso, o  milionário norte-americano acredita que a "onda especulativa" em torno das ofertas iniciais de moedas (initial coin offerings em inglês, ICO) e das criptomoedas "é muito arriscada para quem aposta".


Os comentários de Bill Gates – que em 2014 chegou a dizer que as criptomoedas eram "melhor que o dinheiro" - foram, no momento, alvo de críticas dos participantes. Uns acusaram Bill Gates de estar a influenciar o mercado, outros garantem que o fundador da Microsoft está mal informado em relação às moedas digitais.


Bruxelas diz que há bolha, mas estuda legalização

As vozes a favor da regulamentação continuam a fazer-se ouvir. Bruxelas mostra cada vez mais abertura em relação à tecnologia Blockchain, embora mantenha os avisos sobre os perigos actuais das criptomoedas. Num encontro em Lisboa, na passada sexta-feira, 2 de Março, com cerca de 20 CEO de fintechs e instituições bancárias, o vice-presidente da comissão, Valdis Dombrovskis, afirmou: "Estamos a olhar para a Blockchain e outras aplicações de tecnologias de ledger distribuído para o sector financeiro".

O vice-presidente da Comissão Europeia afirmou que a aplicação de novas tecnologias no sector financeiro está a avançar a um "ritmo frenético" e que estas têm grandes benefícios para consumidores e empresas. "Mas há importantes riscos associados às aplicações da Blockchain que nos confrontam já hoje", disse, acrescentando que "as avaliações das criptomoedas mostram todos os sinais de uma bolha de activos e os investidores podem potencialmente sofrer perdas substanciais".

Em Dezembro, Bruxelas pediu às três Autoridades Europeias de Supervisão – European Banking Authority (EBA), European Insurance and Occupational Pensions Authority (EIOPA) e European Securities and Markets Authority (ESMA) – que lançassem novos avisos públicos sobre o assunto.


No mesmo dia, o governador do Banco de Inglaterra pedia regulamentação para as moedas digitais. Mark Carney, afirmou que as criptomoedas como a bitcoin "falharam" como substitutas do dinheiro tradicional, mas pediu que estas sejam reguladas dentro dos "mesmos modelos que o resto do sistema financeiro".

Carney sublinhou que a utilização do dinheiro digital suscita "problemas sobre a protecção dos consumidores e investidores, a integridade do mercado, a lavagem de dinheiro, o financiamento do terrorismo, a evasão fiscal e os controlos de capital e as sanções internacionais". 


"Os preços de muitas criptomoedas mostraram as características clássicas das bolhas, incluindo as justificações do novo paradigma, fazendo crescer o entusiasmo dos minoritários e as expectativas de subidas de preços e que dependem em parte de se encontrar o mais tonto", sublinhou o governador do Banco de Inglaterra.




pub