Bolsa Bolsa atenua ganhos e fecha a subir menos de 1%

Bolsa atenua ganhos e fecha a subir menos de 1%

As bolsas europeias travaram a tendência de ganhos no final da sessão, muito influenciadas pelos ventos vindos do Atlântico. E Lisboa não foi excepção. Depois de ter chegado a subir mais de 2%, o principal índice nacional terminou o dia com uma subida de inferior a 1%.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 15 de fevereiro de 2018 às 16:51

O PSI-20 fechou a subir pela segunda sessão consecutiva, apreciando 0,80% para 5.463,89 pontos, num dia em que 13 acções subiram, quatro caíram e uma fechou inalterada. O dia chegou a ser de ganhos acentuados, com o índice nacional a chegar a subir 2,03% a meio da sessão. Uma tendência que era partilhada pela generalidade das bolsas europeias. O Stoxx600 chegou a apreciar mais de 1%, mas no fecho subiu menos de 0,5%. Os investidores moderaram o seu entusiasmo a partir da abertura de Wall Street, com as bolsas americanas a negociarem com ganhos inferiores a 0,5%.

 

Na bolsa nacional o grande destaque do dia foi o BCP. Não pela variação, já que terminou o dia a subir 1,54%, mas pela forte procura. Trocaram de mãos quase 129 milhões de acções do banco liderada por Nuno Amado, quando a média diária dos últimos seis meses é de 65 milhões. Os investidores reagiram assim aos resultados apresentados ontem já após o fecho do mercado, com o banco a reportar que os seus lucros cresceram mais de sete vezes em 2017 para 186,4 milhões de euros. Considerando apenas o quarto trimestre do ano passado, o resultado líquido foi de 53 milhões de euros, 34% acima do esperado pelos analistas do BPI que, na sequência da divulgação dos números, decidiram melhorar a recomendação para as acções de "underperform" para "neutral", sublinhando que os destaques deste conjunto de resultados são "a evolução do capital e a qualidade dos activos".

A contribuir para a subida da bolsa esteve também a Jerónimo Martins, que apreciou 1,27% para 17,51 euros, um desempenho partilhado pela rival Sonae SGPS, que ganhou 2,27% para 1,216 euros. 

Do lado oposto esteve a Galp Energia, cujos títulos caíram 0,31% para 14,485 euros, no dia em que os preços do petróleo voltaram a descer 1%, depois de novos relatórios terem apontado para o aumento das reservas dos EUA. A marcar o dia esteve também a previsão do CaixaBI sobre os resultados da petrolífera. A casa de investimento estima que a Galp tenha encerrado o ano de 2017 com lucros de 604 milhões de euros, o que representa uma subida de 13,5% face ao resultado líquido de 483 milhões de euros registados em 2016. A empresa apresenta as suas contas na próxima semana.


A pesar fecharam ainda as acções da Pharol, ao perderem 0,64% para 0,232 euros, bem como da Semapa, que perdeu 0,22% para 18,00 euros. Já a Navigator subiu 1,64% para 4,21 euros, depois de o BPI a ter colocado na lista das acções preferidas, retirando a Semapa.

(Notícia actualizada às 17:00 com mais informação)




Saber mais e Alertas
pub