Bolsa Bolsa atinge máximo de Março de 2016 em dia de novo recorde da Corticeira Amorim

Bolsa atinge máximo de Março de 2016 em dia de novo recorde da Corticeira Amorim

A bolsa lisboeta transaccionou em alta pelo segundo dia consecutivo em nova sessão a tocar em máximos de Março do ano passado. Em destaque esteve a Corticeira Amorim que atingiu um novo máximo de sempre.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 03 de maio de 2017 às 16:45

O PSI-20 encerrou a sessão desta quarta-feira, 3 de Abril, a ganhar 0,52% para 5.144,84 pontos, com oito cotadas em alta, nove em queda e duas inalteradas, o segundo dia seguido em que a bolsa nacional negociou em terreno positivo e atinge recordes de mais de um ano. Depois de ontem ter tocado em máximos de Abril de 2016, esta sessão negociou no valor mais alto desde Março do ano passado, isto num dia em que as principais praças europeias se dividiram entre ganhos e perdas.

 

No plano nacional o maior destaque cabe à Corticeira Amorim que somou 3,59% para 11,395 euros, tendo chegado a tocar nos 11,40 euros por acção, cotação que representa um máximo de sempre para a cotada.

 

A apoiar de forma mais determinante os ganhos em Lisboa estiveram também a EDP, a Jerónimo Martins e a REN. A eléctrica nacional ganhou 1,49% para 3,125 euros, num dia em que foi conhecido que a EDP Brasil encerrou o primeiro trimestre com lucros de 134,8 milhões de reais, resultado que representa uma quebra de 55,4% face ao período homólogo.

 

Ainda na energia, a REN avançou 1,74% para 2,806 euros, enquanto a EDP Renováveis perdeu 0,84% para 6,991 euros, no dia em que a empresa liderada por Manso Neto divulgou resultados que mostram que a cotada teve um lucro de 67,9 milhões de euros nos primeiros três meses de 2017, uma redução de 9% relativamente aos primeiros três meses do ano passado.

 

Já a Galp Energia resvalou 0,71% para 13,955 euros, depois de ontem a petrolífera ter informado que no primeiro trimestre de 2017 teve uma redução dos lucros de 13% quando comparado com o período homólogo. Não obstante, a empresa diz estar a "olhar atentamente" para o mercado brasileiro e para os leilões que ocorrerão ainda este ano.

Também em alta esteve o BCP que subiu 0,47% para 0,2147 euros já depois de esta quarta-feira o jornal Público ter noticiado que a instituição liderada por Nuno Amado aceitou receber 56,5 dos 282,7 milhões a que tinha direito no âmbito do Processo Especial de Revitalização (PER) da Insight Strategic Investments, uma das empresas que ainda resta do universo Ongoing. Ontem, o CaixaBI antecipou que os lucros do banco terão sido de 40,3 milhões de euros entre Janeiro e Março deste ano, o que a verificar-se representará uma queda de 13,7% face aos primeiros três meses do ano passado.

 

Ainda a apoiar o desempenho da bolsa nacional esteve a Nos, que cresceu 0,78% para 5,413 euros, e a Pharol, que valorizou 10,51% para 0,305 euros após ter sido avançado que a Orascom do milionário egípcio Naguib Sawiris voltou a dilatar o prazo para a realização de uma oferta alternativa para a recuperação da brasileira Oi, uma operadora em que a Pharol detém uma participação de cerca de 25%.

 

Sentimento dividido no sector do retalho, com a Jerónimo Martins a avançar 0,79% para 16,53 euros e a Sonae a deslizar 0,72% para 0,972 euros. 


(Notícia actualizada às 16:53)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI