Bolsa Bolsa cai pelo quinto dia arrastada por quedas acentuadas da Pharol e CTT

Bolsa cai pelo quinto dia arrastada por quedas acentuadas da Pharol e CTT

A bolsa nacional fechou em queda, pelo quinto dia consecutivo, numa sessão marcada pela descida superior a 5% da Pharol, uma queda de mais de 2% dos CTT e uma desvalorização superior a 1% da Galp.
Bolsa cai pelo quinto dia arrastada por quedas acentuadas da Pharol e CTT
Sara Antunes 07 de março de 2018 às 16:44
O PSI-20 recuou 0,28% para 5.339,43 pontos, numa sessão em que das 18 cotadas que compõem o índice nove caíram, oito subiram e uma ficou inalterada. A bolsa nacional fechou assim pelo quinto dia consecutivo em queda, contrariando a tendência de ganhos que imperou no resto da Europa, com os índices a beneficiarem do alívio de pressão sobre as cotadas europeias.

Um dia antes de o Banco Central Europeu (BCE) anunciar as suas decisões e orientações no campo da política monetária, os juros das obrigações portuguesas estão em queda, assim como o risco associado à dívida nacional, que está no valor mais baixo em quase oito anos.

 

Este desempenho é partilhado pela generalidade dos mercados bolsistas europeus, e este é a principal justificação para a subida das bolsas.

 

Na praça nacional, destaque para as acções da Pharol, que afundaram 5,78% para 0,212 euros, numa altura em que perdura o braço-de-ferro entre a empresa liderada por Palha da Silva e a brasileira Oi, detida em mais de 20% pela portuguesa.

 

A penalizar a praça nacional estiveram também os CTT, ao descerem 2,29% para 3,154 euros, no dia em que os correios nacionais vão revelar os resultados referentes a 2017.

 

Em queda fechou também o BCP, ao perder 1,49% para 0,291 euros, bem como a Galp Energia, que recuou 1,35% para 14,63 euros, numa altura em que os preços do petróleo estão a ceder cerca de 1%, depois de ter sido revelado que as reservas dos EUA aumentaram na semana passada.

 

A contrariar a tendência de queda esteve a EDP, que subiu 0,82% para 2,833 euros, enquanto a EDP Renováveis fechou a sessão inalterada face ao dia anterior nos 7,185 euros.

 

Em queda acentuada fechou ainda a Novabase, ao perder 3,79% para 2,79 euros, depois de ontem ao final do dia a Euronext revelar a decisão de rever a composição do PSI-20, determinando a saída da empresa liderada por Luís Paulo Salvado. Em troca, entrará a F. Ramada. As acções desta cotada subiram 4,88% para 12,90 euros.

 

Destaque ainda para as acções da Impresa, que deslizaram 6,37% para 0,25 euros, depois de a empresa liderada por Francisco Pedro Balsemão ter revelado ontem após o fecho do mercado que fechou 2017 com um prejuízo de quase 22 milhões de euros, devido às imparidades registadas com a venda da unidade de revistas.

(Notícia actualizada às 16:57 com mais informação)