Bolsa Bolsa nacional cai com correção dos CTT

Bolsa nacional cai com correção dos CTT

A bolsa nacional fechou no vermelho, em contraciclo com o resto da Europa, pressionada sobretudo pelas perdas da Pharol e CTT.
Bolsa nacional cai com correção dos CTT
Pedro Catarino/CM
Carla Pedro 01 de novembro de 2019 às 16:43

O índice de referência nacional terminou a sessão com um deslize marginal de 0,07%, para os 5.115,90 pontos, com 8 cotadas em baixa, 9 em alta e 1 inalterada face à véspera.

 

Depois de ontem as bolsas portuguesa e grega terem sido as únicas, entre as principais da Europa Ocidental, a fechar em alta, hoje as mesmas praças voltaram a encerrar em contraciclo, mas desta vez pela negativa.

 

O restante Velho Continente foi sobretudo impulsionado pelos bons dados económicos provenientes dos EUA e da China, o que animou os investidores. Os setores que mais sustentaram as praças europeias foram o petrolífero, das matérias-primas em geral, automóvel e químico.

 

Por cá, a correção dos CTT foi um dos fatores que mais pressionou o PSI-20. Depois de ontem terem encerrado a subir mais de 3,5%, acumulando um ganho de perto de 40% no mês de outubro, as ações da empresa liderada por João Bento estiveram hoje no vermelho e terminaram o dia a recuar 2,51% para 2,79 euros.

 

Na quarta-feira, 30 de outubro, os CTT reportaram as contas dos primeiros nove meses do ano, com os lucros a duplicarem – para 23 milhões de euros No dia seguinte, a reação foi de euforia, tendo hoje havido então esta correção.

 

A cotada que mais terreno cedeu na sessão desta sexta-feira foi a Pharol, ao descer 2,77% para 0,09 euros. Tratou-se da sua sexta sessão consecutiva em baixa.

 

Em destaque também do lado das perdas esteve a EDP Renováveis, ao registar uma depreciação de 1,37% para 10,08 euros. Em contrapartida, a sua casa-mãe voltou a subir: a empresa liderada por António Mexia ganhou 0,24% para 3,70 euros, mantendo-se assim em máximos de abril de 2015.

Ainda na energia, a Galp pulou 0,18% para 14,31 euros, num dia em que o petróleo regressou aos ganhos. Já a REN deslizou 0,19% para 2,65 euros.

A cotada que mais terreno ganhou nesta última sessão da semana – e a estrear o mês de novembro – foi a Semapa. A dona da papeleira Navigator e da cimenteira Secil somou 3,08% para os 12,70 euros por ação, depois de ontem ter anunciado um aumento homólogo de 15% no lucro dos primeiros nove meses do ano.

O BCP registou a subida mais fraca da sessão de hoje, ao avançar apenas 0,05%, para 0,20 euros.


(notícia atualizada às 16:59)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI