Bolsa Bolsa nacional desce pela segunda sessão com Jerónimo Martins a pressionar  

Bolsa nacional desce pela segunda sessão com Jerónimo Martins a pressionar  

Os índices europeus negoceiam com oscilações ligeiras numa altura em que os investidores aguardam com expectativa os resultados da reunião da Reserva Federal.
Bolsa nacional desce pela segunda sessão com Jerónimo Martins a pressionar   
José Manuel Ribeiro/Reuters
Nuno Carregueiro 18 de setembro de 2019 às 08:20

A bolsa nacional abriu em terreno negativo pela segunda sessão, em linha com o comportamento das praças europeias, num início de sessão marcado por fracas oscilações no valor das cotadas lusas.

 

O PSI-20 desce 0,26% para 5.041,07 pontos, com cinco cotadas em alta, nove em queda e quatro sem variação. Estas duas descidas seguidas surgem depois de cinco sessões em alta, que levaram o índice português para máximos do início de agosto.

 

O foco dos investidores está hoje centrado na reunião de dois dias da Reserva Federal. A entidade liderada por Jerome Powell deverá anunciar esta quarta-feira um corte da sua taxa de juro de 25 pontos base, colocando a taxa diretora num intervalo entre 1,75% e 2%, segundo as previsões do mercado. Este corte será o segundo do ano, depois de a Reserva Federal dos EUA já ter cortado a taxa dos fundos federais na reunião que decorreu no final de julho.

 

Na frente da guerra comercial há evoluções positivas, já que o presidente dos Estados Unidos disse esta terça-feira que é possível que um acordo comercial com a China fique fechado até às eleições presidenciais marcadas para 3 de novembro 2020.

 

A Jerónimo Martins é das cotadas que mais pressiona o PSI-20, com uma queda de 1,46% para 15,88 euros, depois de ontem ter atingido máximos de março de 2018. Segundo avança hoje a Bloomberg, a Bernstein iniciou a cobertura das ações da retalhista portuguesa com uma recomendação de "underperform" e um preço-alvo de 12,50 euros, que se situa 22% abaixo da cotação de fecho de terça-feira.

 

Ainda em terreno negativo, o BCP desce 0,05% para 0,2054 euros, a EDP cede 0,37% para 3,3,466 euros e a Sonae SGPS desvaloriza 0,63% para 0,870 euros.

 

A Galp Energia soma 0,51% para 13,70 euros numa sessão em que o petróleo está a recuperar do tombo da véspera, que foi motivado pelo facto de a Arábia Saudita estimar recuperar a produção petrolífera perdida nos ataques com drones de forma mais célere do que o esperado. O Brent em Londres sobe 0,28% para 64,71 dólares depois de ontem ter desvalorizado 6,48% e na véspera ter disparado mais de 14%.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI