Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional ganha pelo segundo dia com disparo de quase 6% do BCP

A praça portuguesa terminou a sessão de hoje a ganhar mais de 1%, impulsionada pelo bom desempenho do BCP e do setor da pasta e do papel.

Sérgio Lemos
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 07 de Abril de 2020 às 16:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • 25
  • ...
O índice PSI-20 fechou a sessão desta terça-feira, dia 7 de abril, a valorizar 1,27% para os 4.069,46 pontos, alargando o ciclo de boas prestações pelo segundo dia consecutivo. 

Este foi também o sentimento vivido nas restantes praças europeias, que consumaram valorizações na ordem dos 2%, depois de a propagação da covid-19 ter dado sinais de abrandamento em alguns países, como é o caso de Itália ou França. Contudo, o estado de Nova Iorque e o Reino Unido divulgaram há pouco os números relativos à covid-19, que mostraram uma subida recorde no número de mortes num só dia. 

Por cá, a praça portuguesa registou 13 cotadas a valorizar e cinco cotadas "no vermelho". Um dos maiores impulsos veio do lado do banco BCP, que disparou 5,80% para os 9,67 cêntimos por ação, afastando-se dos mínimos históricos atingidos na semana passada, abaixo dos 9 cêntimos. 


O setor da pasta e do papel também registou ganhos acentuados, com a Navigator a ganhar 5,08% para os 2,316 euros e a Altri a subir 3,48% para os 4,108 euros por ação.

A retalhista Sonae, dona do Continente, foi outro das cotadas que se destacou, ao subir 3,89% para os 66,7 cêntimos por ação. A empresa anunciou que, apesar da situação atual, mantém a proposta de remuneração acionista. Já a Sonae Capital anunciou ontem ter cancelado a proposta de distribuição de dividendos que iria apresentar em assembleia-geral.

No setor da energia, o grupo EDP negociou de forma mista. A empresa liderada por António Mexia subiu 1,66% para os 3,606 euros, num dia em que foi ao mercado com uma emissão de obrigações verdes a sete anos, na qual arrecadou um montante final de 750 milhões de euros. De acordo com a Bloomberg, o spread da emissão foi fixado em 180 pontos base acima do "midswap" do euro, que está hoje em -0,107%, pelo que a taxa de juro da operação ficou abaixo de 2%. Já a EDP Renováveis terminou o dia a desvalorizar 0,76% para os 10,38 euros. 

Ainda no mesmo setor, a REN terminou a sessão desta terça-feira a subir 0,42% para os 2,40 euros por ação. Hoje, o CaixaBank/BPI emitiu uma nota a recomendar comprar ações das cotadas de "utilities" na Península Ibérica, por considerar um setor mais estável, com um "cash flow" mais sólido e dividendos mais generosos e sustentáveis. A portuguesa REN surge no topo da lista dos analistas. 

Em contraciclo negociou a retalhista Jerónimo Martins, dona do Pingo Doce, que perdeu 3,13% para os 15,50 euros.


(Notícia atualizada às 16:50)
Ver comentários
Saber mais BCP REN EDP Renováveis economia negócios e finanças mercado e câmbios bolsa macroeconomia mercado financeiro
Mais lidas
Outras Notícias