Bolsa Bolsa nacional regista a maior queda em mais de um ano

Bolsa nacional regista a maior queda em mais de um ano

A bolsa nacional está a acentuar a tendência de queda e recua mais de 2%, naquela que é a descida mais pronunciada desde Janeiro de 2017, a acompanhar a tendência que impera no resto da Europa.
Bolsa nacional regista a maior queda em mais de um ano
Reuters
Sara Antunes 01 de março de 2018 às 12:47
O PSI-20 está a cair 2,04% para 5.356,67 pontos, com 17 das 18 cotadas em queda. Apenas a Ibersol consegue contrariar a tendência. Entre os restantes índices bolsistas na Europa, a tedência é semelhante, ainda que a bolsa nacional esteja a registar a maior queda. O Stoxx600, índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, está a perder 1,14% para 375,31 pontos. 

A penalizar a negociação bolsista estão, sobretudo, os ventos oriundos dos EUA. Mais especificamente a perspectiva de necessidade de "mais subidas graduais" de juros partilhada pelo novo presidente da Reserva Federal (Fed), Jerome Powell, esta semana na Câmara dos Representantes. Esta quinta-feira, 1 de Março, o mesmo represável vai falar perante ocomité bancário do Senado.

A perspectiva de mais subidas de juros nos EUA, conjugada com o facto de o crescimento económico dos EUA ter sido revisto ligeiramente em baixa, está a provocar quedas das bolsas. Já ontem, Wall Street fechou com quedas acentuadas, elevando a descida mensal para quase 4%, no caso do S&P500, o que corresponde à desvalorização mensal mais pronunciada desde 2016.

Na praça de Lisboa, o grande destaque está a ser a Jerónimo Martins, ao afundar 7,7% para 15,735 euros, tendo já descido mais de 8% e tocado em mínimos de Dezembro. A contribuir para este desempenho estão os resultados apresentados pela retalhista ontem já após o fecho do mercado. A empresa liderada por Pedro Soares dos Santos fechou 2017 com uma quebra de lucros de 35% para 385 milhões de euros. Uma queda que é justificada essencialmente pelo facto de em 2017 não terem sido registados factores extraordinários.

Há várias cotadas com quedas superiores a 2%. Como o caso do BCP, que perde 2,14% para 0,2887 euros, a Mota-Engil (2,88% para 3,885 euros), Navigator (2,11% para 4,36 euros) e Semapa (2,08% para 18,84 euros).

A única cotada que contraria a tendência é a Ibersol, ao subir 0,43% para 11,65 euros. 





A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
BCP os shorts MORRERAM asfixiados 01.03.2018


a partir de agora ás 15h30 todos os dias será LANÇADO DUM DUM sobre os MONTES de MERDA dos shorts até ás 16h30 uma hora de DESINFESTAÇÃO até ao seu EXTERMINIO completo ; ORDENS do DR NUNO AMADO o nosso querido PRESIDENTE

Cantas bem mas não memalegras. 01.03.2018

Quando as bolsas descem, aparecem sempre boas noticias (a serem ou não realizáveis) por algumas cotadas que parecem guardadas para esses momentos. Casos BCP, J. Martins e outras mais.

MILENIUM BCP vem ai a OPA 01.03.2018

É este MÊS o valor um EURO por ação o SANTANDER vai TORNAR - SE Num dos 3 MAIORES BANCOS do MUNDO

BCP foi e é bom para os CEOs q o (des)geriram!!! 01.03.2018

Os BCPatos continuam a levar nas nalgas! Têm o cú tão escancarado q já não cagam, deixam cair a póia! Isto aplica-se a quem detém este cancro há mais de 3 anos! Quem tem este tumor há 20 anos e não se curou do cancro, então está a perder fortemente e a recuperação é inviável tal a queda estrondosa!

ver mais comentários
pub