Bolsa Bolsa nacional regista a maior queda em mais de um ano

Bolsa nacional regista a maior queda em mais de um ano

A bolsa nacional está a acentuar a tendência de queda e recua mais de 2%, naquela que é a descida mais pronunciada desde Janeiro de 2017, a acompanhar a tendência que impera no resto da Europa.
Bolsa nacional regista a maior queda em mais de um ano
Reuters
Sara Antunes 01 de março de 2018 às 12:47
O PSI-20 está a cair 2,04% para 5.356,67 pontos, com 17 das 18 cotadas em queda. Apenas a Ibersol consegue contrariar a tendência. Entre os restantes índices bolsistas na Europa, a tedência é semelhante, ainda que a bolsa nacional esteja a registar a maior queda. O Stoxx600, índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, está a perder 1,14% para 375,31 pontos. 

A penalizar a negociação bolsista estão, sobretudo, os ventos oriundos dos EUA. Mais especificamente a perspectiva de necessidade de "mais subidas graduais" de juros partilhada pelo novo presidente da Reserva Federal (Fed), Jerome Powell, esta semana na Câmara dos Representantes. Esta quinta-feira, 1 de Março, o mesmo represável vai falar perante ocomité bancário do Senado.

A perspectiva de mais subidas de juros nos EUA, conjugada com o facto de o crescimento económico dos EUA ter sido revisto ligeiramente em baixa, está a provocar quedas das bolsas. Já ontem, Wall Street fechou com quedas acentuadas, elevando a descida mensal para quase 4%, no caso do S&P500, o que corresponde à desvalorização mensal mais pronunciada desde 2016.

Na praça de Lisboa, o grande destaque está a ser a Jerónimo Martins, ao afundar 7,7% para 15,735 euros, tendo já descido mais de 8% e tocado em mínimos de Dezembro. A contribuir para este desempenho estão os resultados apresentados pela retalhista ontem já após o fecho do mercado. A empresa liderada por Pedro Soares dos Santos fechou 2017 com uma quebra de lucros de 35% para 385 milhões de euros. Uma queda que é justificada essencialmente pelo facto de em 2017 não terem sido registados factores extraordinários.

Há várias cotadas com quedas superiores a 2%. Como o caso do BCP, que perde 2,14% para 0,2887 euros, a Mota-Engil (2,88% para 3,885 euros), Navigator (2,11% para 4,36 euros) e Semapa (2,08% para 18,84 euros).

A única cotada que contraria a tendência é a Ibersol, ao subir 0,43% para 11,65 euros. 





pub