Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional regressa ao "vermelho" com Galp e BCP a pressionar

Depois de uma abertura de sessão positiva, a praça lisboeta foi perdendo força com o decorrer do dia, principalmente após a abertura de Wall Street, e terminou a negociar em território negativo. Em termos semanais, acumula uma desvalorização em torno dos 2%.

2.º Galp Energia
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 26 de Junho de 2020 às 16:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • 13
  • ...
O índice PSI-20 terminou o dia a desvalorizar 0,33% para os 4.359,24 pontos, na sessão desta sexta-feira, dia 26 de junho, acompanhando o sentimento das restantes praças europeias. Depois de uma abertura a apontar para o "verde", a abertura de Wall Street, nos Estados Unidos, empurrou os índices do "velho continente" para o "vermelho" e a praça lisboeta não foi exceção. 

O crescente número de novos casos com covid-19 voltou a travar o apetite dos investidores pelos ativos de maior risco, com os Estados Unidos a interromperem a reabertura da economia em vários Estados que registam um número recorde de infetados. 

Com dez cotadas a negociar em queda e oito a subir, a liderar as quedas esteve a petrolífera Galp com uma desvalorização de 2,39% para os 10,40 euros por ação, num dia em que o Brent - que serve de referência para Portugal - caiu 1,12% para os 40,59 dólares por barril. 


A cair esteve também o BCP, com uma desvalorização de 2,27% para os 10,75 cêntimos por ação, e a Nos, que perdeu 1,04% para os 3,800 euros. 

Em contraciclo esteve o grupo EDP. A empresa liderada por António Mexia subiu 0,12% para os 4,180 euros por ação. Apesar da subida registada, os analistas do HSBC cortaram a recomendação para as ações da EDP de "comprar" para "manter" mas mantiveram o preço-alvo inalterado nos 4,40 euros. 

Tendo em conta o valor de fecho da última sessão, 4,175 euros, a avaliação do banco britânico implica um potencial de valorização de 5,4%.

Também em território positivo esteve a Corticeira Amorim, com um ganho de 0,31% para os 9,83 euros por ação, em dia de assembleia geral. Os acionistas da empresa vão receber o dividendo relativo ao exercício de 2019 a partir de 20 de julho, com as ações a negociarem em bolsa sem direito à remuneração a partir de 16 de julho.

 

Foi anunciado que a Corticeira Amorim vai pagar um dividendo de 18,5 cêntimos por ação, num total de 24,6 milhões de euros. Para reservas legais vão 2,2 milhões de euros e reservas livres 18,4 milhões de euros.

Ibersol lidera perdas em semana negativa para o PSI-20
A bolsa nacional terminou a semana com um saldo negativo, tendo acumulado uma desvalorização de 2,29%. A liderar as quedas esteve o grupo Ibersol, que explora espaços de restauração de marcas como a KFC, Burger King ou Pizza Hut, ao registar uma queda de 9,72%. 

Seguiram-se a Semapa, dona da Navigator e da cimenteira Secil, com perda de 7,51%. O Banco Comercial Português não escapou à onda negativa e perdeu 6,17% do seu valor nesta semana. 

As únicas empresas que aproveitaram esta semana para valorizar foram a Edp Renováveis (+2,21%) e a Sonae (+0,72%).

Ver comentários
Saber mais Galp Estados Unidos BCP Wall Street economia negócios e finanças
Mais lidas
Outras Notícias