Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa da China volta a cair mais de 2% após dados económicos

A bolsa chinesa voltou a registar fortes quedas, depois de ter sido anunciado que a actividade industrial aprofundou a contracção, o que está a aumentar os receios em torno do abrandamento da economia chinesa.

Bloomberg
Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 23 de Setembro de 2015 às 08:41
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O principal índice de Xangai caiu 2,19% para 3.115,888 pontos, regressando desta forma às quedas, depois de uns dias de alguma acalmia.

 

A actividade industrial da China recuou para o nível mais baixo desde Março de 2009, um indicador que aumenta os receios em torno da capacidade da economia em crescer. O índice PMI para a indústria caiu de 47,3 pontos, em Agosto, para 47,0 pontos em Setembro. Um valor que fica aquém das estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg e que apontavam para uma leitura média de 47,5 pontos. Além de continuar em queda, este indicador está num nível considerado de contracção, uma vez que as leituras abaixo dos 50 pontos revelam este cenário.

 

E se os dados económicos estão a contribuir para um aumento do receio entre investidores em relação à segunda maior economia do mundo, as palavras do presidente chinês, na visita aos EUA, estão também a contribuir para um aumento do desconforto entre os investidores.

 

O presidente da China, Xi Jinping, afirmou, durante um discurso proferido nos EUA, que o mercado bolsista do país atingiu uma "fase de auto-recuperação e de auto-ajustamento." Estas palavras foram recebidas como um aviso. "O comentário de Xi indica que as medidas de ajuda do Governo vão ser retiradas e que o Estado não vai comprar muito mais do que já comprou antes para estabilizar o mercado", afirmou à Bloomberg Wang Zheng, responsável de investimento na Jingxi Investment Management.

 

Este contexto provocou uma queda generalizada entre as praças da Ásia, que registaram mesmo a maior queda em três dias desde Agosto, mês marcado por descidas muito pronunciadas devido, precisamente, aos receios em torno da China.

 

As bolsas europeias também estão em queda, numa altura em que o Stoxx600 desce 0,18%, num arranque de sessão que está a ser marcado por uma grande volatilidade, com os índices a variarem entre ganhos e perdas ligeiras consecutivamente. A pesar na negociação das bolsas europeias está também o sector automóvel, com a Volkswagen em destaque, devido ao escândalo de manipulação de testes de emissões de gases poluentes. A fabricante de automóveis alemã está a cair mais de 4% para 101,70 euros.

 

E os futuros dos índices americanos estão a descer, prevendo-se assim uma abertura em queda das bolsas dos EUA. 

Ver comentários
Saber mais bolsa da China Xangai PMI indústria
Outras Notícias