Bolsa Bolsa de Lisboa regressa às quedas penalizada pelo BCP e EDP Renováveis

Bolsa de Lisboa regressa às quedas penalizada pelo BCP e EDP Renováveis

A bolsa de Lisboa regressou às quedas, acompanhando a tendência negativa das principais praças europeias. O PSI-20 está a ser pressionado principalmente pelas cotadas da banca e pela EDP Renováveis.
Bolsa de Lisboa regressa às quedas penalizada pelo BCP e EDP Renováveis
Bloomberg
Vera Ramalhete 03 de fevereiro de 2016 às 12:58

A bolsa de Lisboa retomou a tendência negativa da abertura e segue a recuar 1%, com 14 cotadas em queda e três a avançar, acompanhando assim a tendência das principais praças europeias. A pressionar o PSI-20 estão sobretudo as cotadas da banca e também a EDP Renováveis.

O PSI-20 está a recuar 0,99% para 4931,63 pontos, após ter chegado a avançar 0,4%. Na Europa, as principais praças negoceiam no "vermelho", com a Grécia e Espanha a liderarem as perdas, ao recuarem ambas 1,62%. As restantes congéneres registam perdas inferiores a 1%. O índice de referência Stoxx 600 desvaloriza 0,27% para 333,67 pontos, pela terceira sessão consecutiva, com a apresentação de resultados das cotadas a marcar a negociação, numa sessão volátil.

Em Lisboa, a banca destaca-se pela negativa, reflectindo o impacto das alterações à contribuição extraordinária sobre o sector bancário que estão a ser preparadas na proposta do Orçamento do Estado. O BCP recua 5,65% para 0,0351 euros, pressionando o PSI-20. O BPI também perde 5,81% para 0,924 euros.

A EDP Renováveis também está a pressionar o índice de referência nacional, ao recuar 1,09% para 6,98 euros. A casa-mãe recua 1,03% para 3,185 euros. A Galp Energia contraria a tendência de queda, ao valorizar 0,91% para 10,505 euros, acompanhando os ganhos do petróleo. O Brent, negociado em Londres, que constitui o barril de referência da petrolífera, está a valorizar 1,65%, para 33,26 dólares, esta quarta-feira, após as fortes quedas registadas na sessão anterior.

Pela positiva, a travar maiores perdas na bolsa, destaca-se também a Jerónimo Martins. A retalhista avança 1,53% para 12,955 euros. O governo polaco anunciou novas alterações no novo imposto para o sector do retalho no país, onde a Jerónimo Martins detém a cadeia Biedronka. Mas, o Haitong Bank destaca que estas mudanças não têm impacto para a empresa. A Sonae recua 3,89% para 0,988 euros.

Com fortes quedas, mas menor peso no índice, negoceiam também a Mota-Engil e a Pharol. A construtora recua 5,42% para 1,343 euros. A Pharol está a desvalorizar 2,63% para 0,222 euros.

Na última sessão antes de apresentar resultados, a Portucel está a perder 0,46% para 3,016 euros. Os analistas do CaixaBI antecipam uma subida ligeira dos lucros no ano de 2015, de 181,5 milhões para 181,6 milhões de euros. A Altri recua 1,50% para 3,605 euros. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI