Bolsa Bolsa nacional cai acima de 2% penalizada pelo grupo EDP

Bolsa nacional cai acima de 2% penalizada pelo grupo EDP

A bolsa lisboeta fechou no vermelho pelo quarto dia consecutivo, numa sessão em desvalorizou mais de 2% penalizada pelo grupo EDP e pelo BCP.
Bolsa nacional cai acima de 2% penalizada pelo grupo EDP
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 05 de abril de 2016 às 16:50

O PSI-20 encerrou a sessão bolsista desta terça-feira, 5 de Abril, a ceder 2,07% para 4.874,24 pontos, com 17 cotadas a negociar em queda e uma inalterada. A praça lisboeta acompanhou assim a tendência de perdas verificada na generalidade das principais praças europeias, num dia em que uma queda inesperada das encomendas à indústria na Alemanha esteve a pressionar.

 

No plano nacional foi o grupo EDP que mais penalizou, com a EDP a recuar 3,24% para 2,983 euros, e a EDP Renováveis a deslizar 2,34% para 6,436 euros. Continuando no sector energético, a Galp Energia perdeu 2,85% para 10,57 euros. O preço do barril de petróleo negociou em terreno negativo durante grande parte da sessão, tendo chegado a mínimos de um mês, mas segue agora a subir ligeiros 0,03% para 37,70 dólares por barril no mercado londrino.

No sector financeiro nacional também predominou o pessimismo, com o BPI a desvalorizar 1,04% para 1,236 euros, numa altura em que é noticiado que o líder do banco, Fernando Ulrich, deverá poder recandidatar-se no próximo ano à chefia da instituição, isto se os accionistas aprovarem em assembleia geral a proposta de alteração estatutária em cima da mesa. Esta terça-feira, Artur Santos Silva, presidente não executivo do banco, defendeu que "Ulrich é o líder para o futuro do BPI" e garantiu que o problema do banco em Angola "vai resolver-se bem".

 

Pelo seu lado, o BCP caiu 3,38% para 0,0343 euros. 

Já a Jerónimo Martins desceu ligeiros 0,07% para 14,47 euros, isto depois de na segunda-feira a retalhista ter tocado em máximos de Dezembro de 2013 e de esta terça-feira a unidade de investimento do BPI ter elevado o preço-alvo da dona dos supermercados Pingo Doce de 15,6 euros por acção para 16,10 euros. Seguindo neste sector, a Sonae recuou 2,52% para 1,006 euros.

Outras das cotadas que mais penalizou o PSI-20 foi a Mota-Engil que perdeu 4,66% para 1,801 euros na sessão. A construtora apresentou na segunda-feira os resultados referentes ao exercício de 2015, com lucros de 54 milhões de euros, o que representa uma diminuição de 35% face aos 83 milhões registados um ano antes. Um resultado que ficou em linha com aquelas que eram as expectativas dos analistas. Já esta terça-feira, a empresa revelou ter ganho a adjudicação de novos contratos na América Latina bem como a entrada no Chile, República Dominicana e Paraguai, o que permitirá reforçar a sua carteira de encomendas nesta região em 265 milhões de euros.

Nas telecomunicações manteve-se também a tendência de perdas, com a Nos a recuar 1,91% para 5,802 euros, já depois de o BPI ter cortado o preço-alvo da operadora de 8,00 euros para 6,70 euros, tendo ainda reduzido a recomendação sobre os títulos da cotada de "comprar" para "neutral". A Pharol acompanhou o sentimento ao deslizar 2,24% para 0,131 euros.

 

Por fim, nota para o Fundo do Montepio que acabou o dia inalterado nos 58 cêntimos.


(Notícia actualizada às 16:50)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI