Bolsa Bolsa nacional com ligeira subida apoiada pela Nos e Sonae

Bolsa nacional com ligeira subida apoiada pela Nos e Sonae

A praça lisboeta regressou aos ganhos num dia em que registou uma ténue subida, impulsionada pelos ganhos conseguidos por cotadas como a Nos e a Sonae.
Bolsa nacional com ligeira subida apoiada pela Nos e Sonae
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 31 de agosto de 2016 às 16:47

O PSI-20 encerrou a sessão desta quarta-feira, 31 de Agosto, a somar ténues 0,03% para 4.711,91 pontos, com nove cotadas a negociar em queda, oito em alta e uma inalterada. Depois de ter somado acima de 6,50% ao longo do mês de Julho, o PSI-20 encerrou o mês de Agosto que hoje termina com uma desvalorização acumulada de 0,75%. A praça lisboeta contrariou a tendência de perdas registada pela generalidade das principais praças europeias. 

 

Ainda na Europa, em alta esteve a bolsa grega num dia em que o sector financeiro helénico impulsionou, com o índice que reúne os bancos gregos a disparar mais de 12%

No plano nacional, a Nos, com uma subida de 1,93% para 6,074 euros foi a cotada que mais apoiou a prestação da bolsa lisboeta. Já a Pharol apreciou 1,09% para 0,186 euros depois de a empresa ter reduzido os prejuízos para 8,3 milhões de euros.

Ainda a impulsionar o principal índice nacional esteve a Sonae, que avançou 4,03% para 0,748 euros. Continuando no sector do retalho, a Jerónimo Martins acabou o dia com uma desvalorização de 1,87% para 14,465 euros, afirmando-se como a cotada que mais contribuiu para impedir uma maior valorização do PSI-20 na sessão. 

Também a apoiar a praça lisboeta estiveram os CTT que cresceram 0,44% para 6,576 euros.

No sector financeiro o BPI perdeu 0,27% para 1,101 euros, enquanto o BCP fechou inalterado nos 0,018 euros, acabando Agosto com uma desvalorização superior a 60% entre Janeiro e Agosto, os piores primeiros oito meses de sempre para o banco liderado por Nuno Amado. 

Na energia não foi registada uma tendência. A EDP Renováveis ganhou 1,13% para 7,163 euros e a EDP subiu 0,20% para 3,005 euros. Já a Galp Energia recuou 1,33% para 13,03 euros, isto no dia em que o Ministério Público confirmou buscas à petrolífera nacional devido às viagens do Governo ao Euro 2016. A Galp Energia acompanhou assim a tendência de perdas do petróleo nos mercados internacionais. A matéria-prima recuou para mínimos de duas semanas depois de ter sido divulgado que as reservas petrolíferas norte-americanas aumentaram, na semana passada, acima do estimado pelos analistas. Em Londres, o Brent do Mar do Norte, utilizado como valor de referência para as importações nacionais, segue a cair 2,48% para 47,17 dólares por barril. 


Destaque pela positiva para a Mota-Engil que ganhou 1,74% para 1,751 euros, num dia em que o Negócios escreve que a construtora colocou à venda mais activos da Ascendi.

Por fim, nota negativa para a Semapa que perdeu 1,27% para 11,70 euros, dois dias depois de o Haitong ter antecipado que no primeiro semestre deste ano a empresa tenha registado lucros de 67 milhões de euros, uma quebra de 8% face ao resultado alcançado no período homólogo. 

(Notícia actualizada às 17:00)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI