Bolsa Bolsa nacional em alta impulsionada por JM e Galp

Bolsa nacional em alta impulsionada por JM e Galp

A bolsa nacional inverteu o sentimento negativo do arranque da sessão e segue do lado dos ganhos. Entre as restantes praças europeias não se verifica uma tendência definida.
Bolsa nacional em alta impulsionada por JM e Galp
Bloomberg
Ana Laranjeiro 03 de fevereiro de 2016 às 09:28

A bolsa nacional inverteu o sentimento do arranque da abertura e segue agora no verde. O PSI-20 soma 0,21% para 4.991,76 pontos, com 10 empresas em queda e sete em alta. Entre as restantes praças europeias não se verifica uma tendência definida, numa altura em que os investidores estão a incorporar os resultados das empresas. Várias cotadas têm apresentado resultados que ficam aquém do previsto pelos analistas o que tem feito crescer os receios dos investidores em torno do desempenho da economia mundial.

Ainda esta quarta-feira, a empresa de relógios suíça Swatch, que detém marcas como a Tissot e a Omega, revelou que os seus lucros caíram 17% no ano passado para 1,45 mil milhões de francos suíços, mais de 1,3 mil milhões de euros, de acordo com a Bloomberg. Este valor ficou abaixo das estimativas dos analistas, que anteviam lucros de 1,56 mil milhões de francos suíços. As vendas da empresa caíram pela primeira vez em seis anos, penalizadas pela quebra da procura em Hong Kong e pelo fortalecimento do franco, de acordo com a mesma fonte. As acções da empresa estão a descer 1,67% para 64,90 francos suíços.

Também hoje a farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk anunciou que os seus lucros subiram 26% para 8,26 mil milhões de coroas dinamarquesas (mais de 1,10 mil milhões de euros). Os lucros daquela que é a maior produtora de insulina no mundo foram, ainda assim, inferiores ao estimado pelos 17 analistas consultados pela Bloomberg, que previam lucros de 8,45 mil milhões de coroas dinamarquesas. As acções da Novo Nordisk descem 4,40% para 361,10 coroas dinamarquesas.

Na bolsa de Lisboa, destaque para os títulos da Jerónimo Martins e da Galp Energia. A retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos soma 1,53% para 12,955 euros. Ainda neste sector, a Sonae avança 0,29% para 1,031 euros.

A Galp Energia cresce 1,01% para 10,515 euros numa altura em que a cotação do petróleo nos mercados internacionais está a subir. O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, valoriza 0,49% para 32,88 dólares por barril.

A EDP soma 0,40% para 3,231 euros. Por outro lado, a EDP Renováveis cede 0,68% para 7,009 euros. A REN desliza 0,22% para 2,75 euros.


Na banca, o BCP desce 1,08% para 3,68 cêntimos. O BPI desvaloriza 0,71% para 97,4 cêntimos. A Nos perde 0,66% para 6,614 euros.

No sector da pasta e do papel não se verifica uma tendência definida. A Semapa avança 0,54% para 11,17 euros. A Portucel cresce 0,59% para 3,048 euros. A empresa, que apresenta contas esta quarta-feira, e segundo contas do Caixa BI deverá ter encerrado o último trimestre de 2015 com lucros de 34,7 milhões de euros, uma quebra de 28,3% face ao período homólogo. No ano, os lucros da Portuecel deverão assim ter atingido os 181,6 milhões de euros, ligeiramente acima dos 181,5 milhões de euros, alcançados em 2014, calculam os analistas da unidade de investimento da Caixa Geral de Depósitos.

E a Altri desliza 0,14% para 3,655 euros.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI