Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional sobe 1% em contraciclo com a Europa impulsionada pelo BPI

A bolsa nacional contraria o sentimento negativo das principais praças europeias, pressionadas pela ausência de um acordo entre a Grécia e os credores internacionais. Por cá é o BPI que impulsiona, com uma valorização superior a 25%.

Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria afaria@negocios.pt 17 de Fevereiro de 2015 às 11:28
  • Assine já 1€/1 mês
  • 10
  • ...

A bolsa nacional inverteu a tendência negativa do início da sessão, seguindo o PSI-20 a valorizar 1,02% para 5.391,67 pontos. Das 18 cotadas que compõem o índice, 11 estão em alta, e sete em queda.

 

Lisboa contraria, desta forma, o sentimento negativo que predomina na Europa, depois de a Grécia ter falhado um acordo com os parceiros da Zona Euro e do FMI, tendo até sexta-feira para decidir se quer mais apoio financeiro. O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 0,13%. A bolsa de Atenas lidera as perdas no Velho Continente com uma desvalorização de 2,97%.

 

Na bolsa nacional, é o BPI que impulsiona os ganhos, contagiando as outras cotadas do sector. O banco liderado por Fernando Ulrich dispara 25,6% para 1,31 euros.

 

As acções do BPI foram suspensas pela CMVM antes da abertura do mercado, depois de ter sido comunicado o anúncio preliminar da OPA do Caixabank sobre a instituição portuguesa. Os títulos voltaram à negociação às 9h30 com uma valorização superior a 25%, contribuindo para a mudança de sentimento do PSI-20.

 

O espanhol CaixaBank (La Caixa) dispõe-se a pagar mais de mil milhões de euros para ficar com a totalidade do capital do Banco BPI, liderado por Fernando Ulrich.

 

A OPA é sobre a totalidade do capital, mas o CaixaBank estabelece como condição de eficácia da OPA a obtenção de mais de 50% do BPI. O que significa que o banco espanhol pretende adquirir mais de 5,9% das acções nesta oferta, "de modo que, somado às acções da sociedade visada detidas pelo oferente na presente data, o oferente seja titular de acções representativas de mais de 50% (cinquenta por cento) do capital social da sociedade visada, após a liquidação da oferta", lê-se no anúncio preliminar divulgado esta terça-feira, 17 de Fevereiro.

 

No restante sector, o BCP sobe 6,25% para 7,82 cêntimos e o Banif valoriza 3,45% para 0,6 cêntimos.

 

Com ganhos superiores a 1% seguem também as cotadas do sector da construção, com a Mota-Engil a somar 1,99% para 3,437 euros e a Teixeira Duarte a valorizar 1,83% para 72,3 cêntimos.

 

A contribuir para a tendência positiva estão, igualmente, a Jerónimo Martins e a Galp Energia. A retalhista avança 0,86% para 9,895 euros enquanto a petrolífera sobe 0,24% para 10,45 euros, a acompanhar a subida do petróleo nos mercados internacionais. A matéria-prima de referência para Portugal, o Brent, soma 0,96% para 61,99 dólares.

 

Por outro lado, a evitar maiores ganhos do PSI-20 estão as restantes cotadas da energia e a PT SGPS, que perde 0,41% para 72,7 cêntimos.

Ver comentários
Saber mais Lisboa Europa Grécia Zona Euro BPI mercado e câmbios bolsa economia
Outras Notícias