Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional sobe mais de 1% com 19 títulos em alta

A bolsa nacional negoceia em alta de 1,18%, com a PT a ser o título que mais impulsiona o índice português, a beneficiar de uma nota de análise hoje emitida. Os mercados internacionais negoceiam fortemente animados pelos resultados da Intel e do JPMorgan.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 14 de Outubro de 2009 às 14:11
  • Partilhar artigo
  • 8
  • ...
A bolsa nacional negoceia em alta de 1,18%, com a PT a ser o título que mais impulsiona o índice português, a beneficiar de uma nota de análise hoje emitida. Os mercados internacionais negoceiam fortemente animados pelos resultados da Intel e do JPMorgan.

O índice principal (PSI-20) negoceia nos 8.842,08 pontos, com 19 cotadas a ganhar terreno e uma a descer. As principais praças europeias sobem entre 1,92% (FTSE100) e 2,31% (DAX).

Ontem as bolsas europeias corrigiram de seis sessões de ganhos mas hoje, os resultados apresentados pela Intel e pelo JPMorgan estão a animar os investidores mundiais, com a Ásia a encerrar no verde, ajudada pela diminuição do ritmo de queda das exportações chinesas, a Europa a ganhar 2% e os futuros norte-americanos prestes a registar uma subida de 1,5%.

Por outro lado, “o mercado [nacional] está com pouca flutuação”, disse ao Negócios uma fonte do mercado quando questionado acerca da subida mais acentuada das principais bolsas europeias do que a do índice nacional.

“O [nosso] mercado é mais pequeno, tem menos liquidez”, logo “não se podem tomar grandes decisões de investimento” de um momento para o outro. Por isso o mercado português “reage mais tarde e depois vai atrás”, explicou.

A Portugal Telecom é, hoje, o título que mais impulsiona, subindo 2,51% para 8,006 euros. A operadora negoceia em máximos de 17 meses, considerando os valores de fecho.

A impulsionar a operadora portuguesa está uma nota de recomendação emitida pelo banco ING. A casa de investimento manteve a recomendação de “compra” das acções da Portugal Telecom e subiu o preço-alvo dos títulos da operadora em 11%, de 8,5 para 9,5 euros.

A fonte do mercado contactada pelo Negócios disse que a subida da operadora está relacionada com a saída deste “research”. “Mas o importante é que os mercados estão compradores”, disse, sublinhando que “enquanto o dinheiro [dos investidores institucionais] continuar no mercado não há grande hipótese de haver correcções”.

O BCP lidera as subidas no sector da banca, e sobe 1,37% para 1,036 euros. O BES aprecia 0,58% para 5,239 euros e o BPI ganha 0,41% para 2,473 euros.

A Galp avança 1,24% para 12,23 euros “claramente” influenciada pelo petróleo, que “já vai quase nos 75 dólares”, afirmou a mesma fonte. A eléctrica EDP sobe 1,54% para 3,173 euros. Já a EDP Renováveis perde 0,04% para 7,383 euros, enquanto a REN, sobe 0,17% para 2,994 euros.

A Martifer, que negoceia no PSI-Geral, desce 1,61% para 4,29 euros, depois de o Millennium Investment Banking ter actualizado a avaliação atribuída à Martifer, elevando o preço-alvo para 4,05 euros, no final de 2010.

Contudo, e dada a forte valorização recente das acções da empresa de Oliveira de Frades, o potencial é agora de queda, pelo que o banco de investimento recomenda "reduzir".

Ver comentários
Outras Notícias