Bolsa Bolsa portuguesa em queda pressionada por EDP e Jerónimo Martins

Bolsa portuguesa em queda pressionada por EDP e Jerónimo Martins

O PSI-20 abriu em terreno negativo, depois de duas sessões de valorizações à boleia da Europa e da manutenção de juros nos EUA. O BCP também pressiona, depois de ontem ter fechado em novo mínimo.
Bolsa portuguesa em queda pressionada por EDP e Jerónimo Martins
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 23 de setembro de 2016 às 08:05
O principal índice accionista nacional recua 0,35% para 4.595,74 pontos, a acompanhar os recuos nas praças europeias, que ontem encerraram com a maior valorização em mais de duas semanas, impulsionadas pela manutenção dos juros nos EUA por parte da Reserva Federal.

Em Lisboa as quedas são todas inferiores a 1%, com a EDP Renováveis, a Mota-Engil e a EDP com os maiores recuos, superiores a 0,5%. A Galp está também em terreno negativo (-0,17% para 11,83 euros), numa sessão em que os preços do petróleo voltam às quedas por falta de entendimento entre a OPEP e o Irão para estabilizar a produção mundial, vista como excessiva.

No sector financeiro o BCP já esteve a cair mais de 1% para os 0,0152 euros, próximo do mínimo histórico intradiário e depois de, na sessão desta quinta-feira, ter encerrado com a cotação mais baixa de sempre.

Ontem a Fitch chamou a atenção para a qualidade dos activos da banca portuguesa - que é ainda um factor de fraqueza - e para a sua vulnerabilidade aos riscos do endividamento da economia. E apontou a "posição de capital vulnerável" do BCP, ainda que "as negociações com a Fosun para injectar capital" possam "representar algum alívio".
Já o BPI está inalterado nos 1,13 euros, depois de o CaixaBank ter revisto a sua oferta na OPA para os 1,134 euros, o que poderá levar Isabel dos Santos, segundo contas do Negócios, a ganhar 66 milhões de euros com a venda da sua posição via Santoro. Ontem o CaixaBank anunciou a venda de 585 milhões de acções para financiar a oferta sobre o banco português.

A Jerónimo Martins, que nos últimos dias beneficiou de notícias da suspensão de imposto sobre o retalho na Polónia, para investigação por Bruxelas, recua 0,32% para 15,42 euros.

A Mota-Engil perde 0,8% para 1,607 euros.

As únicas valorizações chegam dos CTT - que recupera de mínimos de Janeiro de 2014 ontem registados, somando 0,13% para 6,17 euros - e da Corticeira Amorim (pouco alterada a ganhar 0,01% para 8,5 euros).

(Notícia actualizada às 8:37 com mais informação)



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI