Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa suspende Triunfo para prudência na negociação

A BVLP suspendeu hoje as acções da Fábrica Triunfo e alertou os investidores para adquirem mais informações antes de investirem naquela empresa, numa sessão em que a Triunfo estaria a registar valorizações de 30%, disse fonte da BVLP ao Negocios.pt.

Bárbara Leite 24 de Agosto de 2001 às 18:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Bolsa de Valores de Lisboa e Porto (BVLP) suspendeu hoje as acções da Fábrica Triunfo e alertou os investidores para adquirem mais informações antes de investirem naquela empresa, numa sessão em que a Triunfo estaria a registar valorizações na ordem dos 30%, disse fonte oficial da BVLP ao Negocios.pt. Desde o inicio do mês, as acções da Triunfo subiram 121%.

«A supervisão da BVLP achou prudente proceder à suspensão do “fixing” da 13h das acções da Triunfo, após as ofertas que estavam a ser registadas» indicarem subidas de 27%, explicou fonte oficial da BVLP ao Negocios.pt.

Da parte da manhã, as ordens de compra sobre a Triunfo atingiram os 1,30 euros (261 escudos), o que traduzia uma subida de cerca de 30% face à sessão anterior.

A suspensão foi acompanhada de um alerta dado através de avisos nos terminais de operadores de mercado que davam a indicação para a tomada de conhecimento aos investidores dos comunicados emitidos pela Triunfo no âmbito de uma operação harmónio – de redução e subsequente aumento de capital - que ainda não foi registada.

Sem explicações, a BVLP remeteu os investidores para a leitura dos comunicados veiculados pela Triunfo até 31 de Julho de 2001.

Contactados, os operadores de mercado dizem que o mercado está na expectativa de novidades favoráveis à empresa, pelo que está a «puxar a sua cotação para cima».

Com esta medida, a Bolsa «quis refrear o entusiasmo dos investidores», acrescentaram os mesmos operadores.

No passado dia 13 de Agosto passado, a Fábrica Triunfo veio afirmar que a Nutriveste por passar a deter 94,89% do seu capital no recente aumento de capital daquela empresa teria que lançar uma oferta pública de aquisição (OPA) de exclusão e o preço seria de 5 euros (1.002 escudos) por acção, o mesmo subscrito do aumento de capital.

A Nutriveste foi o único accionista que acorreu à subscrição do aumento de capital pelo facto da subscrição ter sido realizada a 5 euros (1.002 escudos) por acção, numa altura em que as acções em Bolsa cotavam em 0,49 euros (98 escudos).

Quanto ao eventual lançamento de uma OPA sobre a Triunfo ou mais explicações sobre a operação harmónio da fábrica de bens de consumo, fonte oficial da BVLP escusou-se a prestar mais declarações por esses esclarecimentos ainda não terem sido prestados pela partes envolvidas.

As acções da Triunfo subiram 121% desde o inicio do mês e ontem desde ontem, as acções chegaram a valorizar cerca de 60%.

Na sessão de ontem, a Triunfo fechou a subir cerca de 26% para os 1,2 euros (204 escudos).

As acções da Triunfo, após ter sido levantada a suspensão às 16h, encerrou nos 1,04 euros (209 escudos) a subir 1,96% face à sessão anterior.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias