Bolsa Bolsas dos EUA em queda. Juros a 10 anos em máximos de 2011

Bolsas dos EUA em queda. Juros a 10 anos em máximos de 2011

Wall Street abriu em queda ligeira, no dia em que recomeçam as negociações entre os Estados Unidos e a China. Os juros da dívida a dez anos prosseguem as subidas, tendo tocado em máximos de quase sete anos.
Bolsas dos EUA em queda. Juros a 10 anos em máximos de 2011
Reuters
Rita Faria 17 de maio de 2018 às 14:37

As bolsas dos Estados Unidos abriram em queda esta quinta-feira, 17 de Maio, dia em que os juros da dívida norte-americana a dez anos tocaram num novo máximo de Julho de 2011, acima dos 3,1%.

 

O índice industrial Dow Jones desce 0,10% para 24.743,49 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq cai 0,25% para 7.379,54 pontos. Já o S&P500 desvaloriza 0,11% para 2.719,00 pontos.

 

Esta quinta-feira, o mercado está de olhos postos na retomada das negociações entre os Estados Unidos e a China sobre questões comerciais, que se prolongarão pelos próximos dois dias.

 

As negociações em Washington estão a ser lideradas pelo secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, e o vice-primeiro-ministro chinês Liu He sendo que o objectivo é travar uma possível guerra comercial entre as duas maiores economias do planeta. 

 

"Nós não queremos um aumento das disputas comerciais entre a China e os EUA", afirmou o porta-voz do Ministério do Comércio chinês, Gao Feng, em conferência de imprensa, em Pequim. "Mas, claro, estamos preparados para todas as possibilidades".

 

Trump ameaça subir os impostos sobre um total de 150.000 milhões de dólares de exportações chinesas para os EUA, como forma de punir Pequim por forçar empresas norte-americanas a transferirem tecnologia em troca de acesso ao mercado chinês.

 

Em resposta, a China ameaçou subir os impostos sobre uma lista de produtos que valeram 50.000 milhões de dólares nas exportações norte-americanas para o país.

 

Esta quinta-feira, os juros associados às obrigações do Tesouro norte-americano a dez anos tocaram nos 3,1205% - o valor mais alto desde Julho de 2011 – estando agora a negociar nos 3,0946%. O agravamento das yields foi desencadeado, na terça-feira, pelos dados sobre as vendas a retalho, que sinalizam um forte desempenho da economia dos EUA no segundo trimestre.

 

Em destaque na sessão estão os títulos da Cisco, que descem 4,19% para 43,27 dólares, depois de a companhia ter apresentado estimativas decepcionantes.

 

Também a NetEase afunda 6,62% para 248,40 dólares, depois de os seus resultados terem ficado aquém das estimativas dos analistas.