Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas asiáticas voltam a cair para o valor mais baixo desde Junho de 2006

As bolsas asiáticas voltaram a cair pelo segundo dia consecutivo e encerraram hoje no valor mais baixo dos oito meses. Ontem, os índices chineses caíram mais de 9% e provocaram uma queda generalizado nos mercados mundiais.

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 28 de Fevereiro de 2007 às 07:35
  • Partilhar artigo
  • ...

As bolsas asiáticas voltaram a cair pelo segundo dia consecutivo e encerraram hoje no valor mais baixo dos últimos oito meses. Ontem, os índices chineses caíram mais de 9% e provocaram uma queda generalizado nos mercados mundiais.

O índice japonês Nikkei 225 [nky] registou a maior queda desde Junho de 2006, tendo encerrado a sessão a cair 2,85% para os 17.604,12 pontos. Ao longo da sessão este índice chegou a recuar mais de 4%.

Na China, o índice Shangai e Shenzhen 300 valorizou 2,2%, depois de queda de 9,2% registada na sessão de ontem.

O índice Morgan Stanley Capital International Asia Pacifico recuou 2,9%, a maior queda desde Junho do ano passado, e o índice Hang Seng de Hong Konk caiu 2,9%, a maior queda desde Novembro de 2006.

A principal bolsa das Filipinas registou a maior queda em nove anos com uma desvalorização de 7,9% e na Índia o índice Sensitive fechou a desvalorizar 2,1%. Os restantes mercados asiáticos encerraram a cair. Em Taiwan os mercados estiveram fechados.

Recorde-se que os índices chineses registaram no final da semana passada o valor mais alto de sempre, tendo valorizado cerca de 13% em seis dias.

No entanto, ontem o índice de Xangai recuou 8,8%, a maior queda desde 18 de Fevereiro de 1997.

As acções chineses caíram logo após o principal tribunal do país ter aprovado um conjunto de medidas para combater a venda de acções ilegais e de outras actividades proibidas no mercado. Nos últimos anos, o governo chinês tem introduzido diversas medidas que visam travar um "boom" no investimento. Os bancos, por exemplo, foram impedidos de emprestar dinheiro para a compra de acções.

Outras Notícias